Março Lilás alerta mulheres sobre o câncer de colo de útero

0
31

março lilás

O objetivo é erradicar a mortalidade feminina pela doença

 

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) lança a campanha Março Lilás em comemoração ao Dia Internacional da Mulher (8 de março). O objetivo é erradicar a mortalidade feminina por câncer de colo de útero. Dentre as ações da campanha está a realização de exames de citologia cervical (Papanicolau ou preventivo), mamografia e ecografia na Unidade Móvel de Saúde da Mulher que estará estacionada de 10 a 25 de março, na Rodoviária do Plano Piloto. Os serviços serão por livre demanda, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Para ter acesso, basta levar documento de identidade, CPF, cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) e endereço pessoal com telefone.

De acordo com a gerente de Câncer da SES/DF, Cristina Scandiuzzi, o público-alvo da campanha são mulheres de 25 a 64 anos, que tem ou teve vida sexual ativa, seja qual for o parceiro. “Também queremos captar aquelas que nunca fizeram o exame preventivo de câncer de colo ou o último foi realizado há mais de três anos”, comenta.

O câncer de colo de útero é o quarto tipo de câncer que mais mata mulheres no DF e a segunda principal causa de óbitos no mundo. Dados da SES/DF apontam que, no ano passado, foram realizadas 142 cirurgias para tumor maligno de colo de útero. Dos pacientes diagnosticados com a doença, 88 fizeram radioterapia, 153 passaram por quimioterapia na rede pública de saúde e 70 mulheres residentes no DF foram a óbito.

 

O câncer de colo de útero é um tumor que se desenvolve a partir de alterações no colo do útero, que se localiza no fundo da vagina. Essas alterações são chamadas de lesões precursoras e são curáveis na maioria das vezes. Se não tratadas podem, após alguns anos, se transformar em câncer.

 

 

“Existem também outros cofatores que associados incrementam a possibilidade de desenvolver o câncer de colo de útero”, comenta a ginecologista da SES/DF, Sônia Maria Ferri. Dentre os riscos que favorecem o aparecimento dessa doença, estão:

 

• Sexo desprotegido com múltiplos parceiros;

• Histórico de DSTs;

• Tabagismo;

• Idade precoce da primeira relação sexual;

• Multiparidade (mulheres que têm maior número de filhos têm maior risco).

“Na medida em que essas lesões precursoras são tratadas precocemente existe uma importante redução na incidência de câncer de colo. Daí a importância da campanha para o rastreio de mulheres que possuem a lesão precursora, por meio do exame Papanicolau. Ao realizarmos o diagnóstico e o tratamento, evitamos que essa paciente desenvolva a doença”, afirma a ginecologista Sônia.

Quando as alterações que antecedem o câncer são identificadas e tratadas, é possível prevenir a doença em 100% dos casos. “A detecção da lesão precursora é a garantia da mulher de não desenvolver a forma invasora do câncer”, afirma a gerente de Câncer, Cristina Scandiuzzi.

Saiba Mais

As outras três Unidades Móveis de Saúde da Mulher também oferecem os exames de Papanicolau, mamografia e ecografia. Até o dia 28 de março, cada uma estará estacionada nas seguintes Regiões Administrativas:

– Recanto das Emas (em frente ao Centro de Saúde nº1);

– Riacho Fundo (próximo à Administração Regional);

– Paranoá (próximo à Administração Regional).

É importante lembrar que os exames nessas três carretas são agendados previamente nas unidades de saúde das regiões em que elas estão estacionadas.

Por Patrícia Kavamoto, da Agência Saúde DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui