“MATARAM MARIELLE, MAS A ESQUERDA PREFERE DEFENDER BANDIDO”, DIZ FRAGA

0
8
Fraga disse que o movimento das esquerdas tem o objetivo de demonizar a Polícia Militar e fragilizar a intervenção federal criada para combater o crime no Rio de Janeiro.

O deputado federal e integrante da bancada da bala Alberto Fraga (DEM), diz não ter dúvidas de que a esquerda do Brasil, quer transformar a imagem de Marielle Franco, vereadora do PSOL, assassinada a tiros em mártir por meio de uma batalha ideológica que visa atingir e fragilizar a Intervenção Federal no Rio de Janeiro

Por Toni Duarte

Em contato com o Radar, o deputado Fraga afirmou não ter dúvidas de que “os esquerdopatas querem transformar Marielle em mártir  ou marketing eleitoreiro nacional, já que estamos em um ano de eleições”. Fraga disse que  a vereadora fazia militância sempre atacando a Policia Militar, mas nunca se insurgiu contra o tráfico que mata, alicia e  que domina o complexo de favelas da Maré, onde a vereadora morava.

1albertofraga90“Respeito esse momento trágico. Mas assim como a esquerda se encarregou de fazer um julgamento precipitado de que o tiro partiu da PM, pode se pensar também que mataram Marielle com o propósito de atingir unicamente a intervenção federal no Rio de Janeiro, sob o comando do interventor, general do Exército Walter Souza Braga Neto, do Comando Militar do Leste”, foi o que disse o Coronel aposentado e deputado Alberto Fraga.

O que chama a tenção, segundo Fraga, é que no complexo da Maré foram abatidos barbaramente 27 policiais enviados pelo Estado para combater a criminalidade “e não assistimos nenhuma comoção popular sobre as mortes desse pai de famílias que subiram o morro para defender a sociedade”.

Fraga afirmou que não pode concordar com tamanha brutalidade como aconteceu com Marielle Franco, assinada a tiros no bairro do Estácio, na Região Central do Rio, por volta das 21h30 desta quarta-feira (14).

“E se estes assassinos forem de menores de idade aos quais o PSOL sempre se colocou contra a redução da maioridade penal? E se ficar comprovado que os tiros partiram de dentro da própria esquerda para tentar desmoralizar o ato intervencionista federal que tem o objetivo de combater o crime no Rio de Janeiro?”, questionou o deputado.

O deputado disse não compreender “como esses esquerdistas querem combater a violência se colocando contra a intervenção no Rio, sem apresentar solução e se sendo o tempo todo contra a criação de penas mais duras e manutenção de presos na cadeia”.

Alberto Fraga afirmou que não deseja ser indelicado, mas não ver a morte da vereadora ser mais importante do que a morte do motorista dela ou dos assassinatos de centenas de outras pessoas, vitimas da bandidagem, que ocorrem no Rio e pelo país a fora.

“O crime foi uma execução bárbara , inaceitável e que tem que ser apurado rapidamente como uma resposta ao país. Não importa se a vítima é uma política ou uma pessoa simples do povo. O Estado não pode ter medo da bandidos”, disse Fraga.

 

Fonte: Blog Radar DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui