MINISTÉRIO PÚBLICO COBRA DA CÂMARA LEGISLATIVA DO DF PROCESSO CONTRA DISTRITAIS

0
6
O presidente da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Aguinaldo de Jesus (PRB), defendeu nesta quinta-feira (27) a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar contra os deputados citados no Inquérito 650DF, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Após a aprovação do pedido de cassação da distrital Eurides Brito (PMDB), a tendência é que o colegiado se reúna e decida o que fazer com os processos congelados.  “Temos que trazer à baila e decidir se vamos abrir ou não. Eu defendo que abra para saber se são culpados ou inocentes”, afirmou.

Além disso, os promotores do Núcleo de Combate às Organizações Criminosas (NCOC), que assinam o ofício, querem saber os motivos de os processos não terem sido concluídos ou instaurados. Os casos de Ulysses, Gomes, Nemer, Domingos e Tavares foram sobrestados.  Os casos dos suplentes são mais complicados. Como eles não estão no exercício, a comissão, por enquanto, não pode instaurar processos contra eles.

Já Geraldo Naves, que era suplente e assumiu no lugar do Brunelli, ainda precisa passar pela análise da Corregedoria. Seu nome não foi citado no inquérito da Caixa de Pandora. Mas, após seu envolvimento na tentativa de suborno de uma testemunha do mensalão do ex-governador José Roberto Arruda, acabou tendo um pedido de investigação na Câmara. Geraldo Naves ficou preso, assim como Arruda, por dois meses por determinação do STJ. No entanto, como a posição de corregedor está vaga, não existe posição oficial sobre o caso até o momento.

Fonte: Congresso em Foco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui