Ministério Público do DF abre inquérito para apurar indícios de irregularidades na bilhetagem automática da Semob

0
87

Nesta quarta-feira (22), o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) publicou portaria no Diário Oficial da União (DOU) que instaura inquérito civil público contra a Secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal (Semob).

O procedimento visa apurar indícios de irregularidades na solução de informática que gera o sistema de bilhetagem automática (SBA) do Sistema de Transporte Público Coletivo do DF (STPC-DF).

Em 2020, o secretário de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal (Semob), Valter Casimiro, foi um dos alvos da operação Circuito Fechado, deflagrada pela Polícia Federal.  A ação apura supostos desvios de R$ 40,5 milhões no Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit), órgão do qual ele foi diretor-geral em 2015.

Em 10/3, a  Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou a operação Rafflesia, para apurar desvios que as empresas responsáveis pela publicidade em ônibus de Brasília estariam fazendo em suas prestações de conta junto à Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob).

Comandada pela Delegacia de Repressão à Corrupção, a ação acusa as empresas de fraudarem suas declarações dos valores recebidos pelos anunciantes, para repassar um percentual menor ao poder público. Pelas provas colhidas até agora, diz a PCDF, pelo menos R$ 1 milhão teriam sido desviados, já que a tabela de mídia apresentada à Semob pelas exibidoras chega a ser 5.000% menor que a utilizada na comercialização real dos espaços.

A operação Rafflesia levou este nome por serem as raffésias plantas parasitas. Só que a divulgação da PCDF acabou gerando um mal estar no mercado de Brasília por apontar “agências de publicidade” como envolvidas no desvio de verba.

Não é de hoje que a Semob é alvo de denúncias. Quem não se lembra, por exemplo, durante o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), as operações e até prisões que ocorreram por lá?

Colocar gente de fora do DF para comandar a Semob é desrespeito com a população. No governo do PSB, Rollemberg trouxe a turma ligada a Casagrande (atual governador do Espirito Santo), e que já havia sido denunciada em Vitória.

Valter Casimiro é um atraso na Semob, mas ele está lá só porque interessa ao MDB e as empresas de ônibus gostam dele.

Mas se perguntar ao usuário do sistema de transporte público do DF o que acha do atual secretário de Mobilidade…

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui