Ministro da Justiça deve ocupar vaga de Teori

0
10
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Da Redação
redacao@jornaldebrasilia.com.br

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, reuniu-se no final da manhã de hoje (6) com o presidente Michel Temer. Deve deixar o Planalto com o convite para ocupar a vaga deixada por Teori Zawascki no Supremo Tribunal Federal. Cotado logo após a morte de Teori, não apenas por suas conexões políticas, mas também por ser reconhecido constitucionalista, o nome de Moraes baixou na bolsa de cotações pela forma com que tratou a crise penitenciária.

O próprio Temer preferiu esperar até se decidir a relatoria da Lava Jato, para evitar suspeitas de que tentaria manipular o andamento do processo caso ele passasse ao ministro que indicasse, como é regimental. A escolha do ministro Edson Fachin para a relatoria abriu caminho para a nomeação. Mesmo assim, não se apostava no nome de Alexandre de Moraes.

Foi no domingo que, após uma série de contatos, Temer mostrou inclinação para seu nome. A nomeação, que ainda precisará passar pelo Senado, tem efeitos políticos. Moraes é nome do PSDB, vinculado à corrente do governador paulista Geraldo Alckmin.

Confirmada sua escolha, o Ministério da Justiça deverá ser preenchido por um peemedebista. O mais citado é o senador Renan Calheiros, que deixou há cinco dias a presidência do Senado. Renan já foi ministro da Justiça durante breve período, durante o governo Fernando Henrique Cardoso. Terminou abatido por um tiroteio com o então governador de São Paulo, o tucano Mário Covas.