Ministro do STF anuncia celeridade para julgar Bolsonaro, mas continua lento para julgar Rôney Nemer

1
21

Rôney Nemer foi condenado por improbidade administrativa no Mensalão do DEM. Foto: Gilmar Félix/Câmara dos Deputados

O ministro Luiz Fux disse hoje acreditar que as duas ações penais de sua relatoria em que Jair Bolsonaro é réu podem ser julgadas pelo STF nos próximos seis meses.

As duas deverão ser julgadas pela Primeira Turma do STF. O estopim é o mesmo –a declaração do presidenciável, em 2014, de que não estupraria a petista Maria do Rosário porque ela “não merecia”.

Já o deputado federal Rôney Nemer,  então no PMDB com mandato de deputado distrital, e  já eleito para a Câmara dos Deputados, foi condenado por unanimidade em novembro de 2014 pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal dos Territórios (TJDFT) por improbidade administrativa.

Rôney Nemer é um dos envolvidos no chamado Mensalão do DEM, esquema de pagamento de propinas a autoridades políticas e parlamentares no DF, entre 2006 e 2009. Diante da condenação em segunda instância de forma unânime pelo TJDFT, houve muitos questionamentos sobre a legalidade de sua posse como deputado federal. O tribunal entendeu que Nemer é culpado de ter recebido propina para apoiar o então governador José Roberto Arruda.

Entretanto, Fux inexplicavelmente até agora não julgou o caso do deputado federal Rôney Nemer (PP). Basta que o ministro do STF confirme a sentença para que o parlamentar seja catapultado da Câmara dos Deputados. Mas pelo visto, Fux quer esperar que Nemer termine o mandato…

Já contra Bolsonaro, a coisa aparenta ser extremamente ágil.

 

 

Fonte: Donny Silva/Com informações de O Antagonista

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns pela observação, isso faz de você o mais respeitado blog da cidade. tem de ter coragem para mostrar essa desfaçatez do TSE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui