Na TV, Aécio usará o “mensalão 2″ para atacar Dilma

0
11

 

Maria Lima, O Globo
No programa de TV desta terça-feira, o candidato do PSDB Aécio Neves vai explorar de forma agressiva a existência de um suposto esquema bilionário de corrupção na Petrobras, envolvendo políticos da base governista, mas vai poupar Eduardo Campos, morto em acidente aéreo em agosto. Seu alvo principal será Dilma Rousseff e, segundo seus coordenadores, o tucano vai bater na presidente de uma forma que a candidata do PSB, Marina Silva, não pode bater. Marina ficará num segundo plano e será abordada como integrante da elite petista desde a década de 80 até os anos 2000, omissa ao “mensalão 1″ e ao “mensalão 2″, como Aécio batizou o desvio de recursos da Petrobras para alimentar a base do PT, PMDB, PP e os governos Lula e Dilma.
Além da relação pessoal que tinha com Eduardo Campos, Aécio, segundo seus interlocutores, não ficaria à vontade de criticar numa pessoa que não pode se defender. Ele gravou vários vídeos e vai decidir na última hora qual usar no programa desta terça. Vai reforçar que, enquanto Marina ficou omissa a um modelo que acabou beneficiando sua trajetória política, o PSDB fez oposição de verdade e brigou pela instalação da CPI da Petrobras e investigação do mensalão.
Os tucanos rebateram no domingo acusação de Marina de que o PSDB e o PT “estão irmanados” para destruí-la. O candidato a vice-presidente na chapa de Aécio, senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), disse que a frase de Marina é um “enigma” e não sabe se a intenção é se fazer de vítima ao invés de responder aos questionamentos que vem sendo feitos sobre seu perfil político. A acusação sobre envolvimento de Campos no suposto esquema de desvio de recursos públicos na Petrobras, lembra, foi feita pelo ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e não pelo PSDB ou por Aécio.

— Vítima de nós não é. O Paulo Roberto Costa não é filiado ao PSDB. Nos referimos a Marina sobre seus aspectos contraditórios e seu perfil político. Se ela acha que não pode ser questionada é porque está convencida que faz parte de uma corte celeste, acima de todos nós, e não a uma elite política desde 1988. Nós vamos trabalhar duramente para mostrar que pertencemos a um partido que fez franca oposição ao mensalão 1 e ao mensalão 2 — rebateu Aloysio Nunes.

Na terça-feira, Aécio participa de um grande evento político organizado pelo governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), em Goiânia, na Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura. O ato político com a juventude do PSDB e PSD e cerca de 150 prefeitos aliados de Marconi vai acontecer no reduto ruralista, que tem franca preferência por Aécio. O tucano chegou a empatar com Dilma em Goiás antes do acidente aéreo que jogou Marina Silva na disputa. Agora , pela última pesquisa Serpes – instituto de pesquisa regional – Marina tem 31,5% das intenções de voto em Goiás, contra 28,2% de Dilma e 18, 5% de Aécio.

Essa pesquisa é do dia 31 de agosto e, segundo interlocutores de Marconi, pesquisas internas dos últimos dias já mostrariam uma oscilação de Marina para baixo. Os tucanos goianos explicam que há em Goiás, desde a última eleição, o movimento “Marimar”, formado por pequenos partidos aliados que defendem o voto em Marina e Marconi, e que agora, com sua ascensão nas pesquisas, ganhou maior visibilidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui