Nota do Sindicato dos Bancários do DF sobre a compra de mansão pelo senador Flávio Bolsonaro com financiamento do BRB

0
81

Foto da mansão comprada pelo senador Flávio Bolsonaro em área nobre de Brasília. Foto: Reprodução

O Sindicato vê com preocupação a operação de financiamento imobiliário feito pelo Banco de Brasília – BRB S/A com o Senador Flávio Bolsonaro, filho do Presidente da República. Operação essa que levanta suspeitas sobre a forma como foi conduzida. Existem vários aspectos nesse fato que preocupam o Sindicato.

Devido ao fato de se tratar de Pessoa Politicamente Exposta – PPE, cabe ao banco observar os riscos inerentes à operação de crédito imobiliário e ao risco reputacional e de imagem ao qual foi submetido. Devendo prestar esclarecimentos à sociedade do Distrito Federal se as exigências do financiamento foram obedecidas.

O Sindicato reforça que os empregados do BRB exercem com zelo suas atividades no intuito de melhor servir a sociedade do Distrito Federal e em outras unidades da federação em que o BRB tem presença. “É notória a boa prática bancária exercida e assegurada pelos mecanismos de compliance implementados há bastante tempo no Banco e rigorosamente seguidos pelos seus funcionários”, comenta Kleytton Morais, presidente do Sindicato.

Os órgãos de controle e fiscalização de fluxo dos recursos no sistema financeiro nacional, Receita Federal, COAF, devem verificar a origem do aporte financeiro realizado na operação, considerando sua adequação com renda declarada do Senador na declaração de ajuste anual de imposto de renda. “O que se questiona com essa operação é a origem dos recursos empregados para entrada do financiamento, cerca de R$ 3 milhões, haja vista que o Senador declarou ao TSE, em 2018, ter um patrimônio de R$ 1,74 milhão”, comenta Edson Ivo Martins, diretor do Sindicato e funcionário do BRB.

Portanto, o Sindicato solicita que o banco se pronuncie quanto aos questionamentos que envolvam a concessão do financiamento, reforça a valorização do BRB como banco público e questiona as autoridades competentes que avaliam o fluxo de recursos do sistema financeiro nacional sobre origem do aporte de recursos realizados na operação de financiamento imobiliário concedida ao filho do Presidente de República, Jair Bolsonaro.

Sindicato dos Bancários de Brasília, em defesa do Banco de Brasília e dos bancos públicos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui