OPERAÇÃO BAGRE, INVESTIGAÇÕES E INTENÇÕES

1
9

Desde que este jornalista recebeu denúncias de dois ex-assessores da secretaria de Transportes do Distrito Federal, ainda em 2008, as investigações tem sido intensas.

 O VLT, as concessões de linhas de ônibus, o DER, o Detran, DFtrans e o contrato milionário com a Alston são investigados por este jornalista e pelo Ministério Público, e alguns processos, adiantados,  estão sob segredo de Justiça.

A Operação Bagre, realizada ontem e que envolve o projeto do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos), é apenas um pedaço das ações que estão sendo promovidas pelo Ministério Público, que resolveu agir de vez contra a corrupção no DF.

Só para se ter uma ideia, o então presidente do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF), desembargador Nívio Gonçalves, decidiu derrubar a liminar que suspendia as obras de implementação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Brasília. Com a suspensão da liminar, o governo pode dar andamento às obras imediatamente, para a alegria do então secretário de Transportes, Alberto Fraga, que comemorou muito.

O governo do DEM ficou conhecido por usar o Judiciário (conforme denúncias do ex-secretário de Relações Institucionais do DF, Durval Barbosa), o Ministério Público (daí o silência diante de tantas denúncias feitas) e a Câmara Legislativa do DF, para sua sobrevivência política, e para o perfeito andamento de seus objetivos.

O deputado Alberto Fraga deixou a secretaria de Transportes do DF e indicou seu sucessor, Gualter Tavares Neto, que foi denunciado ao MP por ameaças, inclusive a este jornalista. A preocupação de Fraga é manter o único poder que lhe sobrou no GDF. Talvez por conta disso, resolva apoiar o governo de Rogério Rosso, para manter a secretaria de Transportes sob seu comando mais uma vez.

E outra grande preocupação de Fraga é saber se alguém envolveu seu nome em alguma coisa que lhe comprometa, como por exemplo, o escândalo que envolve seu sucessor na secretaria de Transportes.

Do governo do DEM, só restou Fraga. O resto, ficou em frangalhos. Caberá ao governador Rogério Rosso aceitar ou não, a manutenção da secretaria de Transportes nas mãos do deputado Fraga, que tentará a reeleição.

Em todo caso, a secretaria de Transportes precisa passar por uma profunda auditoria em todos os contratos assinados nos últimos 3 anos. Afinal, Fraga sempre pregou a transparência e a ética. Pena que seu sucessor não pense assim, e que prefira tentar intimidar e amordaçar jornalista que relata fatos existentes.

Mas a verdade prevalecerá mais uma vez, graças a Deus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui