OPINIÃO O interlocutor

0
8

rafaelbarbosa4O ex-secretário de Saúde do Distrito Federal, Rafael Barbosa, é considerado por muitos como um excelente profissional na área médica (é especialista em transplante de rins), e competente gestor público.

Poucos sabem, entretanto, que Rafael é um exímio articulador político. Desde que deixou a secretaria de Saúde para poder se candidatar a deputado federal pelo PT nas próximas eleições, tem sido procurado por diversas lideranças de praticamente todos os seguimentos da sociedade brasiliense .

O motivo? Na falta de experiente interlocutor político no Palácio do Buriti, Rafael Barbosa tem ouvido as demandas daqueles que não conseguem falar com o governador Agnelo Queiroz (PT).

Como o médico é amigo pessoal do governador (que também é médico), a esperança cresce entre aqueles que passaram os últimos três anos sem serem ouvidos por Agnelo. O ex-secretário de Saúde tem trabalhado dobrado para dar conta de tantas reuniões.

Para se ter uma ideia, nos governos de Joaquim Roriz havia sempre a figura política do chefe de gabinete (o famoso Valério Neves era um craque nos bastidores no quesito articulação e gerenciamento de crise), e também as figuras do Chefe da Casa Civil e do Secretário de Governo, que atuavam como para-raios. No governo de José Roberto Arruda, os cargos de chefe de gabinete (que foi exercido por Domingos Lamoglia) e de Secretário de Governo (exercido por José Humberto) também tiveram excelente funcionamento.

Já no governo petista de Agnelo Queiroz, a situação é inquietante. A chefe de gabinete é tímida, discreta demais e inacessível, e o secretário de Governo, Gustavo Ponce é de longe considerado  politicamente fraco para o cargo, apesar de ser uma pessoa extremamente agradável no trato.

A consequência da falta de tino político no Palácio,  são os números apresentados por todas as pesquisas de opinião  que nunca foram extremamente favoráveis ao governo. Em segundo lugar, tem gerado inquietação nos bastidores e principalmente junto àqueles que deram total suporte aos então candidatos ao GDF, Agnelo Queiroz e Tadeu Filippelli, que venceram as eleições de 2010, mas que não cumpriram algumas importantes promessas até o presente momento, nem se preocupam em ouvir lideranças.

Por esses motivos,  o médico Rafael Barbosa tem atuado como importante interlocutor junto ao governo, fato que tem lhe gerado muitos elogios, apesar da indisfarçavel indiferença daqueles assessores palacianos despreocupados com a voz das ruas, e a simpatia de muitos seguimentos que desejam vê-lo como deputado federal nas próximas eleições.

E o tempo passa…

 

 

 

Fonte: Donny Silva

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui