OS PRIMEIROS DEPUTADOS DISTRITAIS

1
9

Quatorze dos 24 deputados distritais da Primeira Legislatura da Câmara Legislativa (1991-1994) se reuniram esta semana para discutir a crise política do Distrito Federal. Juntos, eles redigiram um documento, batizado de “Carta aos Brasilienses”, criticando a intervenção federal e defendendo a “normalidade institucional” de Brasília.

No documento, eles pedem ainda uma proposta de mudança da legislação político-eleitoral e da organização administrativa do Distrito Federal para impedir brechas que permitem o aparecimento da corrupção. Assinam a carta os petista Agnelo Queiroz, Geraldo Magela, Pedro Celso e Wasny de Roure, a ex-governadora Maria de Lourdes Abadia (PSDB), Peniel Pacheco (PDT) e ainda Aroldo Satake, Carlos Alberto Torres, Cláudio Monteiro, Gilson Araújo, José Ornelas, Rose Mary Miranda, Salviano Guimarães e Tadeu Roriz.

Leia a íntegra da carta:

“Nós, Deputados Distritais da Primeira Legislatura (1991/1994), responsáveis pela inauguração do Poder Legislativo de Brasília e pela elaboração da Lei Orgânica do Distrito Federal, preocupados com os últimos acontecimentos políticos e administrativos no Distrito Federal, o que gera uma crise de profundas conseqüências às instituições públicas e de dúvida à população, nos posicionamos de forma intransigente:

1. Pela defesa da autonomia política da população do Distrito Federal, repelimos os desvios de conduta que ocorrem não só em Brasília. Devemos lutar pela extirpação da corrupção prosseguindo na luta pelo aperfeiçoamento das instituições democráticas.

Brasília não está inaugurando o processo de corrupção no País, mas pode inaugurar a liderança de uma ação política baseada nos princípios que devem efetivamente reger a vida pública.

2 Pela defesa da normalidade institucional de Brasília, nos termos da Constituição da República, de 1988, e da Lei Orgânica do Distrito Federal, repudiando quaisquer iniciativas que, sob a forma de intervenção federal ou qualquer outra, venham a atingir a normalidade das instituições, agravando, por via de conseqüência, a crise política e administrativa hoje instalada no Distrito Federal.

Encaramos este momento como uma oportunidade que o DF está recebendo para resgatar a política como instrumento de gestão eficiente e responsável, devolvendo a esperança de um futuro melhor, mais justo e mais democrático.

A responsabilidade histórica que temos para com o povo do Distrito Federal, com a nossa consciência democrática e diante dos fatos ocorridos, nos impõe uma tomada de posição em defesa de:

– uma proposta de mudança da legislação político-eleitoral e da organização administrativa do Distrito Federal buscando o aprimoramento da representação democrática comprometida com os princípios éticos e morais e de respeito à legislação que rege as instituições públicas em nosso País.”

FONTE: BLOG DA PAOLA LIMA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui