PARA ARRUDA, A POLÍTICA ACABOU

0
8

Tentando sensibilizar o Supremo, o advogado de defesa do governador licenciado e preso José Roberto Arruda (sem partido), Nélio Machado, no julgamento do pedido de liberdade no Supremo Tribunal Federal, relatou o seguinte quadro:

– Neste caso, um governador eleito em primeiro turno, que desfruta das garantias concedidas a qualquer do povo, processo legal, presunção de não culpabilidade… Para ele nada disso se concedeu.

– O STJ se reúne sem advogado presente e apresenta em duas horas, se tanto, peça enorme do Ministério Público (MP). O ministro [Fernando] Gonçalves escreveu meia duzia de linhas e transcreveu na íntegra o que foi dito pelo MP. E, no final, em mais meia duzia de linhas, faz o pedido de prisão.

– Ele [Arruda] quer só o direito de se defender em liberdade.

– O que é pior para um homem público? Responder ação penal? Tantos respondem. Metade do Congresso, mas todos em liberdade (…) O tratamento é desigual para Arruda.

– Nós estamos trabalhando sobre o emblemático sinete da presunção de culpa. Não se fala mais em processo legal, deseja-se a punição sem peias e sem limitação.

– O Governador está preso numa masmorra há 20 dias. Não há prisão especial nenhuma. A PF está fazendo uma farsa.

– Nunca tive encontro a sós com ele. Fica acompanhado o tempo todo, vai no banheiro acompanhado.

– Ele só se preocupa em voltar a sua família. Sua vida política acabou, sua vida política está ceifada, ele não tem mais nenhuma chance.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui