PARA RORIZ, PROCURADOR ANTECIPOU A DECISÃO DA JUSTIÇA AO DIZER QUE PLEITO PODERÁ SER ANULADO

0
4

Renato Brill disse que, se o candidato do PSC ganhar, sem ter seu registro validado, o pleito será anulado

Juliana Boechat/Mariana Moreira/Correio Braziliense

O candidato a governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC) aproveitou o domingo de sol para visitar os feirantes da Torre de TV, um dos principais cartões-postais da capital federal. O ex-governador desceu do carro disposto a responder as declarações do procurador regional eleitoral, Renato Brill. Na matéria publicada ontem pelo Correio, Brill alerta que, caso Roriz não consiga validar sua candidatura na Justiça e vencer no primeiro turno, as eleições podem ser anuladas e um novo pleito convocado no período de 10 dias. Para Roriz, o MP quer tirá-lo do páreo por questões políticas. “Ele (Renato Brill) deveria ser expulso do Ministério Público Eleitoral”. Roriz estava acompanhado do candidato a vice-governador, Jofran Frejat (PR).

O candidato chegou à feira por volta de 11h30 — uma hora e meia depois do previsto. Logo nos primeiros passos, ele atacou Renato Brill. “Esse promotor não pode falar essas coisas. Ele está antecipando a posição da Justiça. Que eu vou ganhar, ele pode falar. Mas que eu vou ser impedido de governar, não. Ele virou meu adversário”, disse com tom firme e o punho direito fechado. “E agora é que eu vou ganhar mesmo. Vou derrotá-lo”, acrescentou. Roriz considerou a renúncia do cargo de senador, em 2007, como um “ato de coragem”. “Quem já teve coragem de renunciar quando se sentiu desconfortável em um cargo político?”, perguntou ao microfone.

Roriz cumprimentou artesãos, visitou as barraquinhas e distribuiu promessas. Ele foi presenteado com um acarajé, mas acabou repassando a guloseima a uma aliada alegando estar de dieta. Na tradicional roda de capoeira, prometeu dar atenção ao grupo. Ao lado do presidente da Associação de Feirantes da Torre de TV, Nicanor Farias, Roriz garantiu que ouvirá os trabalhadores sobre a mudança da tradicional feira de lona para uma estrutura de alumínio erguida no governo de Arruda. A obra está paralisada, mas praticamente pronta. Os feirantes e artesãos, porém, repudiam a mudança. “Impor a mudança contra a vontade da população não é governar. Vamos conversar e, se não houver jeito de adaptar, vamos passar o trator (na feira nova)”, disse.

Procurado pelo Correio, o procurador eleitoral Renato Brill reagiu às declarações de Roriz. “É um absurdo isso. Não existe partidarismo por parte do Ministério Público Eleitoral, tanto é que já são mais de 110 candidatos barrados de todos os partidos. Trabalho a favor da aplicação da lei, da Constituição e da moralidade. Se ele não entende isso, o problema é dele”. Ele ressaltou o fato de uma iniciativa do MP ter culminado na saída do governo de José Roberto Arruda, que é adversário político de Joaquim Roriz.

Interdição
No fim de semana anterior, parte da estrutura da feira desabou e o local foi interditado. Roriz tinha previsto visitar os feirantes no dia 31 último, mas em função do acidente, adiou o compromisso. A torre já foi reaberta.

Companhia ilustre em Ceilândia

O candidato petista ao governo do DF, Agnelo Queiroz, ganhou uma ilustre companhia em sua agenda dominical. A presidenciável do mesmo partido, Dilma Rousseff, se juntou aos representantes da legenda para uma visita à Feira da Guariroba, em Ceilândia, maior colégio eleitoral do Distrito Federal. Juntos, eles percorreram as barracas e cumprimentaram eleitores, em meio à multidão que se formou. “A presença dela reforça os nossos compromissos, que são semelhantes aos assumidos nacionalmente pelo partido. Esse entrosamento é muito importante, porque precisaremos do governo federal para garantir as realizações”, afirmou.

A comitiva — formada por Agnelo Queiroz, pelos candidatos ao Senado Cristovam Buarque (PDT) e Rodrigo Rollemberg (PSB), a deputado federal Geraldo Magela, além dos concorrentes a cadeiras na Câmara Legislativa Arlete Sampaio (PT) e Chico Vigilante (PT) — escoltou a candidata até a saída e continuou a peregrinação.

Em meio aos corredores, o político foi homenageado por repentistas, que fizeram uma cantoria improvisada, tendo a política local como tema. Ele também deu entrevista à rádio comunitária mantida pelo espaço e recebeu lideranças locais. “Acompanho a vida cultural da cidade. Meu sonho é instalar aqui um Centro de Cultura Nordestina, que estimule atividades de artistas da região e divulgue a culinária, de forma constante. Ceilândia congrega a maior população nordestina, depois de São Paulo”, relatou.

Antes de ir embora, por volta de 12h, o concorrente ao governo local ainda ouviu as reivindicações do administrador do local, José Holanda da Silva, 59 anos, conhecido como Galego da Feira. “É preciso levantar a estrutura, colocar pontos de energia para todos os feirantes, regularizar pendências nos alvarás de funcionamento e reformar os banheiros”, enumerou. A feira existe há mais de 20 anos e por lá circulam, todos os domingos, cerca de 2 mil pessoas.

Corpo a corpo

O candidato Antônio Carlos de Andrade, o Toninho do Psol, aproveitou o domingo para fazer corpo a corpo em feiras populares do Distrito Federal. Por volta das 9h, distribuiu panfletos e adesivos na Feira da Guariroba, no P Sul. Às 10h, a comitiva do partido se deparou com a chegada de militantes do PT, que coincidentemente também fizeram campanha no local. À tarde, Toninho visitou a Feira de Planaltina. Na cidade, almoçou na casa de apoiadores e visitou lideranças políticas da região. “Fomos muito bem recebidos. Essas atividades de rua são importantes para testar se você é conhecido ou não. A medida que vamos avançando na campanha, percebo que aumenta o nível de conhecimento da população sobre a minha candidatura “, afirmou Toninho. Ontem, o candidato do Partido Verde (PV) Eduardo Brandão dedicou o dia a familiares e companheiros de partido. Os candidatos Newton Lins (PSL) e Rodrigo Dantas, do PSTU, não tiveram compromissos de campanha neste domingo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui