Pastor Darckson Lira foi morto por conhecidos

0
107

Um dos suspeitos afirmou que mantinha uma relação de intimidade com o religioso

por Leiliane Roberta Lopes

suspeitos-morte-de-darckson-lira-272x200.jpg.pagespeed.ic.4tKQa4wi7J

 

 

 

 

FOTO: HELENE SANTOS
O delegado Romero Almeida, da 34ª Delegacia de Polícia, investiga a morte do pastor Darckson Lira, vítima de um latrocínio ocorrido na madrugada da última quarta-feira (25) na cidade de Fortaleza, no Ceará.
Segundo os depoimentos dados pelos criminosos, Saturnino de Araújo Angelim, 20, Ronnalt Ferreira da Silva, 21, o pastor se encontrou com eles por volta da meia noite na avenida Duque de Caxias. Os homens estavam dentro do carro e por algum motivo todos eles saíram e os ataques ao pastor começaram.
Darckson morreu com 12 facadas e seu corpo foi deixado na estrada. Os assaltantes pegaram o carro da vítima e fugiram, mas colidiram com um poste nas proximidades da Praça da Bandeira e foram presos em flagrantes.
A relação do pastor com os criminosos está sendo apurada, um deles afirma que o pastor ajudava financeiramente por que sua esposa está grávida. “Ele [pastor] me chamou pra sair, ele [pastor] me ajudava, pois o meu bebê vai nascer agora”, disse Saturnino.
O criminoso afirmava que mantinha uma relação de intimidade com o pastor. “Ele ajudava a gente. Ele ia me deixar em casa quando eu saía do trabalho. Um outro cara desceu do carro. Teve um cara que abordou nós [SIC]. Ele [pastor] sempre ia me buscar. Eu marquei com ele, a gente se conhecia.”
O delegado entende que o motivo do crime era roubar o pastor. “O objetivo deles era assassinar para roubar a vítima, eles premeditaram o crime e confessaram que foram abordados por uma terceira pessoa. A polícia vai checar todas as informações e acreditamos que a verdade real dos fatos surgirá.”
Na quinta-feira (26) o terceiro homem foi preso e confessou o crime. José Marcio Fernandes Teixeira, 36 anos, afirmou que planejou o crime com os outros dois presos e que Ronallty foi quem esfaqueou o religioso.
“O ‘Lorinho’ (Saturnino) disse que já tinha amizade e mantinha encontros íntimos com o pastor. Queremos avançar nesses aspectos para sabermos o que realmente originou essa ação. Ele falou que teve relacionamento homossexual”, disse o delegado. Com informações Diário do Nordeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui