PELO do Executivo que limita salários de estatais é lida em plenário

0
14

Foi protocolada e lida em plenário na tarde desta terça-feira (7), a Proposta de Emenda à Lei Orgânica (PELO) do governador Rodrigo Rollemberg que limita ao teto constitucional os salários dos empregados em empresas públicas do DF. A proposta segue agora para análise das comissões permanentes da Câmara Legislativa.

O líder do Governo, deputado Rodrigo Delmasso (Podemos), anunciou a chegada da PELO às 16h30. O assunto já havia sido abordado em vários pronunciamentos de distritais, desde o início da abertura da sessão ordinária, às 15h. Segundo Delmasso, há empregados de empresas públicas recebendo salário equivalente ao triplo do teto constitucional devido à brecha da LODF. “Isso é inadmissível, como bem disse o governador ao anunciar o envio do projeto. Esta Casa precisa ajudar a corrigir essa desigualdade”, comentou o distrital.

O líder do governo afirmou ainda que aprovar a mudança é uma contribuição importante ao ajuste das contas do Distrito Federal, cuja despesa com folha de pagamento é cerca de R$ 1,7 bilhão por mês.

Já o deputado Raimundo Ribeiro (PPS) afirmou que o PL apresentado pelo governo, já havia sido apresentado em 2015 pela então deputada Celina Leão (PPS), e que o referido PL não é nenhuma novidade para a Casa. “Esse PL que o governador quer enviar, é uma tentativa de armadilha”, esbravejou o parlamentar.

Votação – A deputada Celina Leão (PPS), minutos antes da chegada da proposta do Executivo, solicitou ao presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), a votação já nesta quarta-feira (8) de emenda de sua autoria que trata do mesmo assunto e tramita na Casa desde 2013. A deputada disse que abria mão da autoria para que todos os distritais assinassem como autores da medida.

Celina Leão argumentou que sua proposta já tramitou em todas as comissões da Câmara e está pronta para votação em plenário.

O presidente Joe Valle informou que levará a demanda ao colégio de líderes.

A parlamentar chegou a questionar se o governo realmente enviaria sua proposta. “O governador prometeu há sete meses mandar o projeto das eleições diretas para administradores regionais, uma promessa de campanha, mas até hoje não mandou. Neste caso, não precisamos esperar por um projeto do GDF”, justificou.

Fonte: CLDF