PIMENTA NOS OLHOS DOS OUTROS

1
11

 PT, PMDB, PPS, PDT, PRP, PTC, PP entre outros, ficaram caladinhos durante o maior escândalo de corrupção já descoberto no Distrito Federal, quando da Operação  Caixa de Pandora, deflagrada em novembro do ano passado. Nenhum político famoso da oposição ou situação foi à TV denunciar ou se revoltar. Ficaram quietos e omissos porque faziam parte do governo de José Roberto Arruda.

Inclusive o candidato Agnelo Queiroz teve acesso aos vídeos e ficou omisso. Preferiu guardar para sí aquelas informações que assistira de camarote.

Durante a campanha de 2006, não se importaram com as promessas de Arruda,  como por exemplo, de manter os empregos no ICS e as vans nas ruas (está na internet). O ex-governador Cristovam Buarque também prometeu aumento para os professores antes de se eleger ao GDF em 1994.

Agora, o PT de Agnelo, que não investiga seus próprios crimes, que expulsa seus companheiros honestos (como o fez com Marina Silva e Heloisa Helena, entre muitos outros) e que não permite a apuração de denúncias contra sua gente (é por isso que o processo do Mensalão do PT está parado no STF, com 40 indiciados, muitos deles do PT e amigos do Lula), tenta atacar uma declaração de Dona Weslian Roriz, que prometeu anistiar multas aplicadas pelos radares. É muita hipocrisia!

Mas Arruda fez isso e ninguém disse coisa alguma, principalmente o PT. Para o partido de Agnelo, denúncias da imprensa são ‘orquestradas’ e  ‘infundadas’, mas não é isso que revelam investigações feitas pelo Ministério Público, Tribunais de Contas, Controladoria-Geral da União,  Polícia Federal (em alguns casos em que não houve certo controle por parte do Planalto) e o trabalho extraordinário de jornalistas que buscam a verdade dos fatos.

Afinal, o dinheiro é público, e o Brasil precisa saber onde está sendo aplicado: se no próprio PT ou no país. Enquanto isso, o partido de Lula ataca  a imprensa e tenta jogar pimenta nos olhos dos outros adversários.

O maior medo de Lula e do PT de perder a eleição presidencial, é que uma simples faxina (auditoria)  revelará ao menos 7 anos de muita coisa que ficou escondida nas gavetas, cofres e tapetes de sofisticados gabinetes palacianos. Prova disso foi a interferência direta do Palácio do Planalto em indicar presidentes e relatores de CPIs que deram simplesmente em nada, porque não se quis apurar coisa alguma. Exemplo? CPI da Petrobrás, Cartões Corporativos, dos Correios e do Mensalão do PT, entre outros.

Enquanto isso, em Brasília, os caciques do PT local ficaram calados, juntamente com o PPS e o PDT, diante do Mensalão do DEM. É muita incoerência e oportunismo nesta hora.

Haja hipocrisia!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui