Policarpo parabeniza trabalho de Jacques Pena à frente do BRB

0
13
 

De acordo com balanço semestral divulgado no dia 29 de agosto, o Banco de Brasília (BRB) alcançou lucro líquido de R$ 115 milhões no 1º semestre de 2012, maior resultado da história da instituição financeira para o período e maior rentabilidade patrimonial (retorno do investimento) entre bancos médios. Em comparação com 2011, o saldo é superior em R$ 4,13 milhões. 

Para o deputado Policarpo (PT/DF), esse resultado é fruto do trabalho competente desenvolvido por Jacques Pena à frente da instituição. “Sempre defendi que o Banco de Brasília tinha potencial para impulsionar o desenvolvimento econômico do Centro-Oeste. A gestão de Jacques corrobora esse meu entendimento. Afinal, o banco tem estimulado as micro, pequenas e médias empresas, bem como os pequenos produtores rurais. Um avanço que merece os meus parabéns”, frisou Policarpo. 

Jacques Pena atribui o crescimento de 9,29% do patrimônio líquido em relação ao primeiro semestre de 2011 à mudança do modo de atuação do banco. “Voltamos a abrir agências para as pessoas mais simples, além de novas lojas bancárias, que saltaram de 90 para 200. Estamos crescendo e desenvolvendo a economia da capital”, destacou o presidente do BRB. 

Outro avanço a ser considerado é a ampliação da oferta de crédito. A carteira para Pessoa Física cresceu 28,6%, atingindo o valor de R$ 4,166 bilhões em junho deste ano. O aumento também foi verificado na carteira de crédito comercial. Em 12 meses, a modalidade passou de R$ 669,65 milhões para R$ 932,38 milhões, o que representa uma evolução de 39,2%. Na Carteira de Desenvolvimento, os créditos imobiliário, industrial e rural registraram salto de 19,75%, contabilizando R$ 607,49 milhões. 

O estímulo do banco ao desenvolvimento das micro, pequenas e médias empresas incentivou a aplicação de 90% do crédito industrial, de R$ 11,76 milhões, no segmento. Os grandes e pequenos produtores também foram beneficiados com a liberação de R$ 73 milhões para o Agronegócio. Os principais destaques foram a aplicação de R$ 1,2 milhão para apoio à agricultura familiar por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF), e de R$ 10 milhões para o Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC). 

Outro avanço a ser considerado é a ampliação da oferta de crédito. A carteira para Pessoa Física cresceu 28,6%, atingindo o valor de R$ 4,166 bilhões em junho deste ano. O aumento também foi verificado na carteira de crédito comercial. Em 12 meses, a modalidade passou de R$ 669,65 milhões para R$ 932,38 milhões, o que representa uma evolução de 39,2%. Na Carteira de Desenvolvimento, os créditos imobiliário, industrial e rural registraram salto de 19,75%, contabilizando R$ 607,49 milhões. 

O estímulo do banco ao desenvolvimento das micro, pequenas e médias empresas incentivou a aplicação de 90% do crédito industrial, de R$ 11,76 milhões, no segmento. Os grandes e pequenos produtores também foram beneficiados com a liberação de R$ 73 milhões para o Agronegócio. Os principais destaques foram a aplicação de R$ 1,2 milhão para apoio à agricultura familiar por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF), e de R$ 10 milhões para o Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui