Polícia do DF prende grupo que furtava motos para revender na Bahia

0
16

Foram sete detidos; organização levava veículos em caminhões de mudança.
Delegado diz que suspeitos furtavam pelo menos 15 veículos por semana.
Do G1 DF
motosroubadas

 

 

 

 

 

 

 

Motos apreendidas com grupo preso nesta quarta-feira (19) (Foto: Natalia Godoy/G1)
A Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira (19) sete pessoas suspeitas de integrarem um grupo que furtava motos no Distrito Federal, adulterava os veículos em uma oficina de Ceilândia e os levava para vender em outras unidades da federação, principalmentea a Bahia. Eles foram detidos em flagrante enquanto carregavam um caminhão com quatro motos.
saiba mais
Dupla suspeita de furtar motos à venda na internet é presa no DF
Crimes sobem 29,8% no DF em 2014; latrocínio e roubo de carro dobraram
A Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos estima que os bandidos furtavam pelo menos 15 veículos por semana. Segundo a polícia, o esquema funcionava desde o início do ano. Um dos integrantes era responsável por organizar os crimes com o apoio de pelo menos outras duas pessoas – que já foram identificadas pela polícia, mas que ainda não foram presas.

Eles furtavam motocicletas arrancando as travas de segurança e os guidões. As principais áreas de atuação eram o região central de Brasília e Taguatinga. Não havia contato direto com as vítimas, de acordo com a polícia.
Na oficina, documentos eram adulterados e as placas, clonadas. De lá, os veículos seguiam para a casa de quatro dos integrantes, que fazem parte da mesma família. Também em Ceilândia, o local era a residência dos suspeitos e sede de uma transportadora. As motos eram levadas junto a objetos de outras pessoas, em três caminhões “baús”.

Documentos falsos apreendidos com suspeitos de
furtar motos (Foto: Natalia Godoy/G1)
“Eles íam recebendo as motos dia a dia e colocando nos caminhões. As motos íam de maneira ocultada entre esses itens. Eles aproveitavam desse artifício para fazer o transporte”, afirmou o delegado Marco Aurélio de Souza.
Parte do grupo viajava a cada 15 dias e levava cerca de dez motos furtadas a cada viagem para Salvador e outras cidades da Bahia. Segundo o delegado, as motocicletas eram vendidas pela metade do valor de mercado.
As investigações tiveram início há dois meses, quando quatro motos furtadas foram encontradas em um lote em Ceilândia, segundo a polícia. Ao todo, foram apreendidas dez motos na operação.
O grupo vai responder pelos crimes de associação criminosa, furto e receptação. Caso sejam condenados, eles podem pegar pena de 10 a 25 anos de prisão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui