População do Núcleo Bandeirante, Vila Cauhy, Park Way e Riacho Fundo não aceita fechamento do PS e encerramento dos programas do Centro de Saúde População do Núcleo Bandeirante, Vila Cauhy, Park Way e Riacho Fundo não aceita fechamento do PS e encerramento dos programas do Centro de Saúde

0
20

O recado dado aos governantes é que a população não concorda com esse modelo de araque, de mentirinha, que nada mais é que o sucateamento da assistência, empurrando mais ainda os pacientes para os prontos-socorros
Por Gama Livre Foto: Reprodução/Divulgação –

A população do Núcleo Bandeirante e vizinhança se uniu às suas principais e fortes lideranças, juntamente com o SindSaúde e os servidores, para se manifestarem contra a atabalhoada reforma da atenção primária prevista nas portarias 76 e 77, que acabam com os serviços prestados no centro de saúde há várias décadas.

 

O recado dado aos governantes é que a população não concorda com esse modelo de araque, de mentirinha, que nada mais é que o sucateamento da assistência, empurrando mais ainda os pacientes para os prontos-socorros cada vez mais superlotados! Foi uma manifestação democrática e de cidadania, com os legítimos usuários do SUS e seus defensores, que são os servidores.

 

O SindSaúde, a exemplo do que já fez em Ceilandia, Santa Maria, Gama, Riacho Fundo e outras localidades, se fez presente, somando a sua voz de resistência e em favor de uma saúde pública de qualidade para todos. Na oportunidade, o deputado Wasny de Roure, presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) da CLDF, levou o apoio do seu mandato a essa causa que é de todos, e se comprometeu a buscar alternativas para enfrentar a situação posta pelo governo.

 

“É inadmissível que um governo eleito com a bandeira de valorizar a saúde pública se valha de artifícios mentirosos para ludibriar a todos, retirando as conquistas dos trabalhadores e negando à população o seu direito elementar de assistência à saúde. Vamos resistir e mostrar à sociedade e aos órgãos de controle esses embustes travestidos de gestão. De uma forma ou de outra, haveremos de vencer. Iremos a todas as instâncias legítimas para barrar esses desmandos!”, bradou Marli Rodrigues, presidente do SindSaúde.