Primeiro-ministro de Israel afirma que fala de Lula é ‘perigosa e grave’

Avesso à leitura e simpatizante de ditadores comunistas, Lula mais uma vez ataca Israel e ignora a história do holocausto, colocando o Brasil numa situação de vexame mundial

Neste domingo (18), parlamentares do partido Novo, entre eles os deputados Marcel van Hattem (Novo-RS) e Adriana Ventura (Novo-SP), juntamente com o senador Eduardo Girão (Novo-CE), anunciaram a apresentação de um pedido ao procurador-geral da República, Paulo Gonet, para que seja iniciada uma investigação sobre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A iniciativa ocorre após Lula comparar as operações militares de Israel na Faixa de Gaza ao Holocausto, durante uma entrevista na Etiópia.

Lula fez declarações polêmicas durante uma coletiva de imprensa em Adis Abeba, capital da Etiópia, onde comparou as ações de Israel na Faixa de Gaza ao extermínio de judeus promovido por Adolf Hitler durante a Segunda Guerra Mundial. A fala gerou reações, inclusive do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que veementemente condenou as alegações.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, expressou repúdio às declarações do presidente brasileiro. Netanyahu afirmou que Lula desonrou a memória dos seis milhões de judeus assassinados pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

Em suas declarações, Netanyahu acusou Lula de “demonizar o Estado judeu como o antissemita mais virulento” e destacou que o presidente brasileiro deveria ter vergonha de si mesmo. A comparação feita por Lula gerou intensa reação não apenas em Israel, mas também internacionalmente, levando a críticas por banalizar e distorcer eventos históricos sensíveis.

As declarações de Lula configuram crime de racismo, e na última sexta-feira (16), o partido Novo já havia apresentado uma notícia-crime contra Lula, acusando-o de praticar o crime de terrorismo, após o anúncio de aportes extras à agência de refugiados palestinos da ONU.

Sem conhecer a história mundial, Lula mais uma vez protagoniza vexame internacional e coloca o Brasil em rota de colisão com o mundo democrático.

Em Brasília, já se comenta que o impeachment de Lula é inevitável, após suas declarações de apoio ao grupo terrorista Hamas. Deputados federais divulgaram neste domingo (18) uma lista de assinaturas com o pedido de impeachment do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por crime de responsabilidade.

“Lula incentiva a injúria racial, e incorre em crime de responsabilidade previsto no art 5° da Constituição Federal, o que corrobora também com a fala do 1° Ministro de Israel que demonstrou de imediato seu veemente repúdio”, afirmou a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP).

A oposição cita um trecho do art. 5º, da lei 1.079/50, em que determina os crimes de responsabilidade contra a existência política da União. O trecho em si diz que é crime de responsabilidade “cometer ato de hostilidade contra nação estrangeira, expondo a República ao perigo da guerra, ou comprometendo-lhe a neutralidade.”

Lula vai perder o mandato por falta de juízo e excesso de arrogância.  Confira o pronunciamento do primeiro-ministro israelense:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui