Projeto para codependentes atende mais de 300 pessoas em três meses

0
7


Mais de 300 pessoas já foram atendidas pelo projeto Ame, mas não sofra!, da Subsecretaria de Políticas Sobre Drogas (Subad), da Secretaria de Justiça, lançado em 5 de novembro. Esta é a primeira ação no Brasil que dá apoio aos familiares de usuários de droga, chamados codependentes, em todas as fases, desde a prevenção até o tratamento das drogas.

Faz parte do projeto a Unidade de Apoio às Famílias, localizada na Secretaria de Justiça. O objetivo é dar informações e apoio psicológico para quem precisa e busca ajuda para lidar com os dependentes químicos. O atendimento é feito por psicólogos da Subad, que orientam conforme a necessidade da pessoa: seja já para o tratamento ou para evitar a experimentação da droga. O funcionamento da Unidade é em horário comercial. Já foram atendidas no espaço 150 pessoas.

Outra ação do Ame, mas não sofra! é o Curso de Multiplicadores de Apoio  aos Familiares de Dependentes Químicos. Em duas edições foram capacitados 162 pessoas. A 3ª turma acontecerá de 24 a 28/3/2014. As inscrições estarão abertas a partir de 10/2/2014. A lista de espera para a próxima turma já conta com 116 pessoas.

A  cabeleireira Sueli Gomes* , 50 anos, moradora do Guará,  foi uma das participantes do Curso de Multiplicadores de Apoio  aos Familiares de Dependentes Químicos. Ela sofreu com a dependência química da filha. “Se na época, há dois anos, tivesse as informações que tenho agora, não teria sofrido tanto. A gente se vê nesse curso, tudo que se fala aqui é exatamente o que enfrentamos nessa luta”, comentou a cabeleireira. “Antes, eu não sabia onde procurar ajuda, nem sabia que eu também estava doente. Só nesse curso começo a me dar conta do grau da minha doença. Agora, quero ter bagagem também para ajudar outras pessoas”, relata Sueli, que pretende abrir um instituto para trabalhar com as famílias de dependentes químicos.

O projeto 

O público-alvo do projeto Ame, mas não Sofra!, segundo o secretário de Justiça Alírio Neto,  são as famílias, por ser ela o primeiro espaço no qual cada indivíduo se insere, e onde se inicia o processo de socialização primária.

As ações do Projeto são voltadas para cinco vertentes:

1. Prevenção: ajudar aos pais e responsáveis, que muitas vezes não sabem como conversar sobre drogas com seus filhos, ou como agir para evitar que as drogas entrem em sua casa, levando informação e orientação preventiva;

2. Acolhimento: acolher familiares de pessoas que  convivem com a realidade da dependência química de um ente querido, informando-as  sobre a doença da dependência química e sobre a codependência, bem como sobre os tratamentos existentes;

3. Multiplicação: realização de seminários de Multiplicadores de Ações de Apoio às Famílias, com palestrantes multidisciplinares. Os cursos são abertos ao público interessado, e, principalmente, àqueles que desejam levar essa informação adiante, inclusive no exercício da sua profissão;

4. Apoio: para levar acolhimento e informação às famílias que necessitam foi criada a I Unidade de Apoio às Famílias. Ela está situada na Sede da SEJUS, no SAIN,  Estação Rodoferroviária, Térreo, Ala Sul, Sala 09;

5. Interatividade: para se manter perto das famílias, a equipe do Ame, mas não Sofra! disponibiliza vários canais de comunicação:

Serviço:
Para se manter perto das famílias, a equipe do Ame, mas não sofra! disponibiliza vários canais de comunicação:
Telefone: 2104-1868
Endereço eletrônico: amemasnaosofra@sejus.df.gov.br
Página do projeto no site da Sejus: (www.sejus.df.gov.br/projetos/ame-mas-nao-sofra)

* nome fictício

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui