PTN-DF sugere aumento de assentos preferencias no transporte coletivo

0
8

 

O Partido Trabalhista Nacional do Distrito Federal (PTN-DF) sugeriu na última segunda-feira (10/03) uma emenda ao Projeto de Lei 1807/2014 que reduz em 50% a destinação mínima obrigatória de assentos no transporte público destinados a pessoas com deficiência e ainda exclui os idosos deste benéfico. O Partido acredita que em uma cidade que possui mais de 200 mil idosos e cerca de 560 mil pessoas com algum grau de deficiência as vagas preferenciais são de extrema importância para o conforto dos cidadãos que dependem deste transporte.

O Projeto de Lei 1807/2014 protocolado na Câmara Legislativa pelo Poder Executivo visa alterar a Lei 2.250/1998 que impõe às concessionárias do Sistema de Transporte Público Coletivo do DF (STPCDF) que reservem e identifiquem, no mínimo, quatro assentos para essas duas parcelas da população. Pela nova proposta do governo, a garantia se restringiria a apenas dois assentos e o novo texto ainda retira os idosos mantendo apenas as pessoas com deficiência.

De acordo com a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), em 2010, o DF tinha 197,6 mil pessoas com 60 anos ou mais, representando 7,7% da população. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) do mesmo ano, dos 2,5 milhões moradores do DF, mais de 570 mil, 22,23% da população, tem alguma deficiência, sendo que a predominante é a visual (63,71%).

delmasso9Segundo o presidente do PTN-DF, Rodrigo Delmasso, a nossa cidade precisa na verdade é de ampliar os benefícios às pessoas e não tirar o pouco que já conquistaram. “Se o Projeto for aprovado se revelará um total desrespeito ao cidadão idoso, que com sua idade avançada se verá obrigado a passar várias horas em pé durante uma viagem, e além de tudo, prejudicará ainda, as pessoas com deficiência, que já possuíam poucos lugares reservados nos veículos de transporte público. Isso seria completo descaso às pessoas nessas condições”, afirma Delmasso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui