Quaquá, que agrediu deputado no Congresso, tem histórico conturbado

Explosivo, o vice-presidente nacional do PT, deputado federal Washington Quaquá (PT)-RJ) já foi condenado a pagar indenização por danos morais a Berenice Seara, a mais conceituada colunista política do estado do Rio de Janeiro

A jornalista Berenice havia publicado duas notas sobre a insistência de Quaquá em fazer o PT do Rio a apoiar Claudio Castro, candidato de Jair Bolsonaro (PL) a governador do Rio. O PT nacional, lógico, reagiu. Quaquá não contestou as informações, mas usou as redes sociais para fazer ataques misóginos à colunista. Insinuou que mulheres usam o jornalismo para fazer dinheiro ilegalmente a fim de comprar botox.

QUEM É QUAQUÁ

Quaquá é amigo de Lula e político de esquerda conhecido como chefe político de um reduto eleitoral, a cidade de Maricá (RJ), onde há interessantes projetos sociais, desde ônibus de graça a uma economia local dinamizada por uma moeda social. Tudo irrigado por muito dinheiro dos royalties.

Ex-prefeito de Maricá, Washington Luiz Cardoso Siqueira, conhecido como Quaquá, é um deslumbrado deputado federal em primeiro mandato. Ele é filiado ao PT desde adolescente.

No seu histórico como prefeito, Quaquá foi simplesmente condenado duas vezes por abuso de poder político e econômico. Na decisão mais recente, de 2014, a Justiça decidiu que ele contrariou a lei ao reajustar a remuneração de servidores em até 100% após período permitido pela legislação. Ele se manteve no cargo, mas passou oito anos inelegível.

Em 2022, o vereador Ricardinho Netuno (Republicanos), de Maricá (RJ), apresentou ao Ministério Público denúncia contra o prefeito da cidade, Fabiano Horta (PT), e contra o vice-presidente nacional do partido, Washington Quaquá (foto), por assédio moral, constrangimento ilegal, tráfico de influência e compra de votos.

Segundo relatos, as ordens seriam para que servidores apagassem publicações de apoio ao presidente Jair Bolsonaro e fizessem campanha para Lula, inclusive com adesivagem dos carros.

“Entendo ser necessária uma análise mais apurada do Ministério Público sobre os abusos e crimes cometidos pelo prefeito Fabiano Horta e o ex-prefeito Washington Quaquá no Município de Maricá e que os responsáveis sejam punidos com o máximo rigor da lei”, disse o vereador Ricardinho Netuno na representação.

Reduto petista, Maricá surpreendeu o partido no primeiro turno das eleições com derrota de Lula na cidade. O presidente Jair Bolsonaro teve 46,56% dos votos, contra 42,9% do petista.

TAPA NA CARA DENTRO DO PLENÁRIO

Quaquá também é explosivo, sem papas na língua e por isso protagonizou nesta semana um show de imbecilidade e violência dentro do plenário da Câmara dos Deputados.

O caso se deu durante a promulgação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da desastrosa Reforma Tributária no plenário da Câmara dos Deputados na 4ª feira (20), e é possível ver o início da discussão após deputados da oposição puxarem gritos de “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão” pouco antes da fala do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Nesse momento, Washington Quaquá se aproxima do grupo com o celular na mão e diz que vai apresentar uma ação no Conselho de Ética contra as manifestações. Messias Donato pede então para que Quaquá se afaste do grupo. O petista violentamente reage dando um tapa no rosto do congressista do Republicanos, partido que faz parte da base de sustentação do governo esquerdista.

“Dei 1, dou 2 e dou 3, não tem problema nenhum. Se me agredir, eu agrido eles. Os bolsonaristas estão acostumados a querer dar uma de machão e bater nos outros. Comigo a porrada canta. Então, dei-lhe um tapa na cara e muito bem dado”, declarou Quaquá.

O parlamentar disse ainda que não teme ter seu mandato cassado. “Fiquem à vontade. Toda vez que me agredirem, vou agredir de volta. No plenário ou na rua”, afirmou o petista.

Messias Donato

Já o deputado Messias Donato (Republicanos) registrou um boletim de ocorrência contra Quaquá. Ele também falou a respeito ainda no Plenário:

 

O vídeo da agressão de Quaquá ao colega foi filmado pela deputada Sílvia Waiãpi, do PL do Amapá. “Gente, o homem agrediu aqui o deputado. […] Ele deu um tapa no rosto”, diz a parlamentar.

AGRESSÃO DE QUAQUÁ DESMORALIZA O CONGRESSO NACIONAL

Irritado com o episódio, o  presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta 5ª feira (21) que o tapa dado pelo vice-presidente nacional do PT, deputado Washington Quaquá (PT-RJ), no congressista Messias Donato (Republicanos-ES) “desmoraliza” o Congresso Nacional.

Segundo parlamentares ouvidos pelo Blog, o deputado Quaquá deverá ser cassado por quebra de decoro parlamentar.

Quaquá está sendo aconselhado por colegas a renunciar o mandato e concorrer à Prefeitura de Maricá (RJ).

 

Assista ao vídeo:

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui