R$1,8 MILHÃO

1
17

Com pouco trabalho, distritais torram R$ 1,8 milhão da verba indenizatória

 

Os deputados distritais consumiram, no ano passado, R$ 1,8 milhão dos recursos públicos com combustível, aluguel de imóvel, consultoria e divulgação, conforme noticiado hoje no Correio Braziliense. Esses gastos são liberados por meio da verba indenizatória, com teto de R$ 11.250 por mês. Em ano de baixa produção legislativa, devido às repercussões da Operação Caixa de Pandora, e por conta das eleições, os integrantes da Câmara Legislativa (CLDF) torraram, em média, R$ 5 mil por dia. As despesas não cessaram nem na época das campanhas eleitorais, quando o plenário do órgão ficou praticamente fechado.
 
Quem mais utilizou a verba foi Dr. Charles (PTB). Ele gastou cada centavo disponível, o que significou R$ 135 mil a menos nos cofres da Câmara. As maiores despesas do distrital foram com combustível e lubrificante de veículo. Só nos três últimos meses de 2010, ele gastou R$ 31.850.  Outro que deixou o mandato com as despesas praticamente no limite foi Batista das Cooperativas (PRP). Ele gastou R$ 520 a menos do que o campeão de gastos, mas também não conseguiu se reeleger, ficando na 46ª posição na eleição para a Casa.

Treze dos 24 distritais abriram mão de receber a verba indenizatória durante a campanha. Não foi o caso de Benedito Domingos (PP). Ele gastou R$ 123 mil em 2010. Os distritais também recebem, mensalmente, R$ 97.602,92 de verba de gabinete. Esse valor deve ser aplicado com o pagamento de até 25 servidores. Liberados pela Justiça, ontem eles voltaram a nomear. Foram contratados 257 comissionados para lotar os gabinetes dos 14 novos distritais.
 

Os parlamentares voltam às atividades com o bolso mais cheio. No fim de 2010, eles aprovaram aumento de 61,8% nos próprios vencimentos. Com isso, passaram a receber R$ 20.025 por mês. No fim dos quatro anos de mandato, somados o 14º e 15º salários, cada distrital terá recebido R$ 1,2 milhão. Isso sem contar outros benefícios, como auxílios-alimentação e creche.

Fonte: Informações do Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui