RAZÕES DE SOBRA PARA A INTERVENÇÃO NO DF

1
12

Nos bastidores da política e da imprensa local, correm notícias de que deputados citados e envolvidos até o pescoço na Operação Caixa de Pandora, continuam agindo como se nada devessem à sociedade.

Projetos, acordos, negociatas, continua tudo como era antes. E ainda tem político metido a machão e honestíssimo, que continua ameaçando e faturando muito. O governo mudou e o tal cidadão foi junto para não largar o rentável “osso”. O tempo vai provar que de mocinho não tem nada. Basta ver como virou milionário ao ingressar na política…

A Caixa de Pandora revelou uma parte das negociatas que corriam soltas em sofisticados escritórios e apartamentos de luxuosos hotéis no DF. Mas ainda tem mais, muito mais a ser revelado pelas investigações que ocorrem desde 27 de novembro de 2009 , após a apreensão de farto material encontrado em escritórios, gabinetes e residências que revelou um esquema amador (segundo o ex-vice-governador Paulo Octávio) e bilionário, capitaneado por políticos e autoridades do primeiro escalão do GDF.

As pressões continuam. Intimidações também. A corrupção resiste e persiste e somente uma intervenção federal poderá dar um basta ao fantástico esquema que existe há muito tempo no DF, que torna poucos em milionários que depois se transformam em políticos que ficam ainda mais ricos. Tem sido assim.

Há uma forte tentativa de inibir a divulgação de  informação verdadeira na imprensa local. Mas blogs resistem e insistem. Acreditam na verdade e na justiça. Afinal, os bandidos são todos aqueles que fingiam ser honestos, se comportavam como honestos, mas eram corruptos acostumados ao dinheiro fácil, utilizando-se para isso, os cargos públicos. Peculato é uma palavra que tais políticos desonestos desconhecem e ignoram.

Mas os tempos mudaram e a Justiça despertou, porque o povo finalmente se cansou de assistir aos mesmos filmes, em que os “mocinhos” são os verdadeiros bandidos, enquanto a população é grande vítima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui