RELATÓRIO SOBRE CASSAÇÃO DE EURIDES PODE SER APRESENTADO EM 20 DIAS

9
7

 Pelo menos 12 pessoas serão ouvidas pela Comissão de Ética e Decoro Parlamentar para a elaboração do relatório que pedirá a abertura, ou não, do processo de cassação contra a deputada distrital Eurides Brito (PMDB). A sugestão da relatora do processo, deputada Érika Kokay (PT), foi aprovada por unanimidade entre os quatro membros presentes na reunião realizada na tarde desta terça-feira (28). Participaram da reunião, além de Kokay, os deputados Aguinaldo de Jesus (PRB), presidente da Comissão, e os membros Paulo Roriz (DEM) e Raimundo Ribeiro (PSDB).

Eurides Brito foi gravada pelo então secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, guardando dentro da bolsa dinheiro de origem suspeita. Das 12 oitivas aprovadas, 6 foram sugeridas pelo relatório de defesa da peemedebista. As outras seis foram acrescentadas por sugestão de Érika Kokay, por serem importantes na “elucidação dos fatos”. “Acatei todas as sugestões da deputada Eurides para que depois não seja alegado o cerceamento da defesa. Mas é claro que outros convites poderão surgir com o desenrolar da investigação”, afirmou a relatora.

Entre as oitivas sugeridas pela defesa de Eurides Brito estão: Marylene Caldas e Silva Paula, Célia Cristina de Oliveira do Couto, Elizângela Rocha Pires, Nilton Alves Ferreira, Leondina Ribeiro do Couto e Álvaro Leme. Todos comprovariam que o dinheiro recebido pela parlamentar seria uma devolução do ex-governador Joaquim Roriz, então candidato ao Senado Federal, para custear jantares e almoços de apoio durante a campanha eleitoral de 2006.

Outros nomes como Alcidino Vieira, David Oliveira Miranda, Odaíza Rodrigues Alves, a ex-secretária de Educação, Wandercy Camargo, o coordenador da campanha de Roriz, Vatanábio Brandão, e Durval Barbosa, pivô da crise originada pela Operação Caixa da Pandora, serão convidados a prestarem depoimento aos membros da comissão. Para Kokay, a expectativa é que em 20 dias o relatório seja concluído. “Como não depende exclusivamente de nós, faremos o possível para dar a maior agilidade possível e não precisar usar o prazo previsto pelo regimento interno”, afirmou a petista.

De acordo com o regimento, a relatoria teria 30 dias para a entrega do documento, prorrogáveis por mais 30. Além das oitivas, a Comissão de Ética vai solicitar à deputada Eurides Brito a cópia da declaração de Imposto de Renda dos últimos cinco anos do marido da parlamentar. “A Polícia Federal encontrou R$ 244 mil na casa da deputada Eurides e mais US$ 9 mil. Na declaração da deputada, apenas há declarado o valor de R$ 120 mil. Queremos saber a origem dessa diferença”, afirmou a relatora. Para Eurides Brito, isso não será problema. “Sou casada há 49 anos com meu marido e a Câmara não é nossa única fonte de renda. Temos consultoria, a minha aposentadoria da Universidade de Brasília, além do consultório do meu marido”, afirmou a deputada.

A parlamentar afirmou que está tranqüila em relação ao possível processo de cassação, mesmo com o número desfavorável de aliados que integram a comissão. “O que esperamos é que não seja feito um julgamento político. O que esperamos é que o julgamento seja baseado nos fatos, na verdade. E se for a verdade, não tenho o que temer”, completou Eurides.

A Comissão de Ética ainda aprovou a realização de reuniões com a subprocuradora-geral da República, Raquel Dodge, e com o delegado federal Alfredo Junqueira, responsável pela Operação Caixa de Pandora. “Temos muitas questões contraditórias na defesa da deputada Eurides, mas apenas após esses processos poderemos elucidar completamente as dúvidas existentes”, afirmou Kokay. Fonte: Redação do Blog do sombra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui