Rollemberg ensaia sugerir a Márcia de Alencar: “Pede pra sair, 01″

1
7
Brasília(DF), 24/02/2016 - Governador Rodrigo Rollemberg anuncia a exoneração do secretário de Justiça e Cidadania, João Carlos Souto, bem como de seu subsecretário do sistema penitenciário, João Carlos Lóssio. Na foto (D-E) secretário de justica Gulherme Rocha de Almeida, chefe da Casa Civil Sérgio Sampaio, governador Rodrigo Rollemberg e a secretária de Seguraça Marcia de Alencar Foto: Daniel Ferreira/Metrópoles

Lilian Tahan

LILIAN TAHAN/METROPOLES

Com o colapso das forças de segurança do Distrito Federal engatilhado, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) fez o primeiro movimento depois de meses de apatia. E rifou a cabeça da secretária Márcia de Alencar. A notícia boa é que Rollemberg convidou o ex-secretário do Rio de Janeiro José Mariano Beltrame para assumir a gestão dessa área aqui no DF. A ruim: Beltrame não aceitou.

Ao procurar um substituto paraMárcia de Alencar, Rollemberg admite o que a população tem por óbvio. Se o governo não mediar com eficiência a crise instalada entre as forças de segurança, as consequências serão gravíssimas. Duas ocorrências só nesta terça-feira (25/10) ilustram esse potencial explosivo.De manhã, agentes policiais de custódia, que pertencem aos quadros da Polícia Civil, foram barrados na porta da Papuda com 95 presos de alta periculosidade. Na entrada do complexo, agentes de atividades penitenciárias em greve impediram o bonde de passar. Quando voltou para o Departamento de Polícia Especializada (DPE), o comboio foi novamente embarreirado. Dessa vez, por grevistas da Polícia Civil. Ao relatar o episódio, o condutor de uma das viaturas resumiu a vontade dos policiais: “A gente deveria desembarcar o pessoal lá na frente do Buriti”.

Quase ao mesmo tempo, policiais militares foram até o Instituto de Criminalística da Polícia Civil pedir perícia em uma viatura usada pela PM. Ouviram dos agentes um desdenhoso “não”. A justificativa oficial? Greve. A extraoficial é que falta boa vontade entre as categorias. Sentimento fermentado todas as vezes que os civis medem o calibre de seus contracheques com o dos oficiais da PM, abonados em função de gratificações.

E a dura constatação: foi o próprio governo quem criou esse ambiente de disputa entre corporações irmãs. O GDF raciocinou que era melhor ter o apoio de uma das forças. E se alinhou com a PM. Na chefia desse sistema inflamado está a secretária Márcia de Alencar, a quem o governador ensaia para sugerir, com toda a delicadeza: “Pede pra sair, 01”.

1 COMENTÁRIO

  1. Essa mulher nunca deve ter segurado um revolver. Nem deve saber onde fica as quebradas da cidade. Pobre coitada, só esta no cargo para dar desculpas esfarrapadas. Deve sair não, já deveria ter saido a tempos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui