RORIZ FALA DA CRISE NO DF EM HORÁRIO ELEITORAL

4
6

De volta ao horário eleitoral gratuito, o ex-governador Joaquim Roriz (PSC-DF) inicia hoje (23) as primeiras inserções do Partido Social Cristão deste ano, que vai ao ar no rádio e na TV. O assunto principal das inserções locais é o escândalo que está na mídia e na boca do povo desde 27 de novembro do ano passado, quando a Polícia Federal iniciou as investigações das denúncias de corrupção no governo do Distrito Federal e os desdobramentos da Operação Caixa de Pandora. Ele também avalia a crise que se instalou no governo do DF e fala na possibilidade de uma intervenção no Distrito Federal. Ao todo, Roriz estará em 30 inserções – entre locais e nacionais, com 30 segundos cada.

Além dos temas políticos, Roriz também gravou uma inserção para a transmissão nacional do PSC. Ele falará de suas realizações na área de meio ambiente, quando ocupava o governo do Distrito Federal. Como exemplo vai citar a despoluição do Lago Paranoá, assim como a criação da primeira Secretaria de Meio Ambiente do País.

 Roriz abre o programa que será exibido hoje (23), e também na quinta-feira (25) e sábado (27), falando sobre o escândalo que abalou o Distrito Federal e o Brasil. “É tão vergonhoso, é  tão escandaloso. E eu fico numa indignação, eu fico numa vergonha…Meu Deus do céu, como podemos chegar nisso aí? Mas, por outro lado, eu vejo  firmeza na Justiça. A Justiça vai punir, a justiça vai fazer como ela está fazendo. Então, eu fico… por um lado com profunda decepção, e por outro cheio de esperança que  a Justiça cumpra o seu dever”, diz Roriz no programa sobre o escândalo no Distrito Federal.

 O resultado da crise é de preocupação para o ex-governador e ele diz: “Eu vejo esta crise do GDF com muita apreensão. É realmente um quadro altamente preocupante. Mas vejo, por outro lado que a crise não é de Brasília, não é com os brasilienses. A crise é com o GDF. Não vamos misturar uma coisa com a outra. E a responsabilidade cabe única e exclusivamente a aqueles que estavam governando. Porque Brasília é muito maior do que uma crise passageira”, esclarece.

 Em outros dois textos Roriz fala especificamente sobre a possibilidade de intervenção federal e demonstra o quanto é contra a ideia para o DF. “Quando a gente procura pensar numa solução, eu vejo que a intervenção não é a solução. Ela é traumática. Por outro lado eu acho que quem tem que resolver isso é a Assembléia Legislativa. A Assembléia precisa ser mais ágil nas soluções das questões internas. Porque a solução efetivamente mais democrática passa pela Assembléia Legislativa. E completa: “Eu acho que quando se fala em intervenção, Brasília não merece uma intervenção”. Brasília não merece uma intervenção. Brasília não pode perder a sua autonomia política. Brasília é a hospedeira dos Três Poderes da República. Eu acho que é preciso nós discutirmos e buscarmos a unidade da sociedade. Nós estamos apoiando é o soerguimento de uma cidade que nós todos aprendemos a admirar e a amar, que é a capital do meu país”, defendeu Roriz.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui