Samambaia recebe 7ª Clínica da Família do DF

0
15

 

Unidade é a quarta a ser inaugurada na cidade e terá recepcionistas para acolhimento

O governador Agnelo Queiroz entregou na manhã de ontem (10), em Samambaia, a 7ªClínica da Família construída no DF, que realizará atendimento primário a quase 20 mil pessoas.

“Nos últimos dois anos e meio nós mudamos a lógica do atendimento no DF. Antes era baseada em hospitais, com prontos-socorros lotados, agora a prioridade é a atenção básica e preventiva próximo à casa dos pacientes”, informou o chefe do Executivo Regional, durante a solenidade.

A Clínica disporá de cinco equipes da “Estratégia Saúde da Família”, composta por médicos, enfermeiros, técnicos, agentes comunitários e dentistas.

A unidade inaugurada hoje é a maior das construídas em Samambaia, com mais de 1.000 m² e com o maior número de consultórios odontológicos – cinco no total.

“Samambaia tinha, em 1988, 100 mil habitantes e possuía apenas quatro centros de saúde. Em 2001, com 240 mil habitantes, a cidade dispunha apenas dos mesmos quatro centros de saúde e de um hospital com pouca infraestrutura”, afirmou o secretário de Saúde, Rafael Barbosa.

“Hoje a cidade mantém quatro centros de saúde da família, um CAPS tipo 2 (álcool e outras drogas), centros de acolhimento, a UPA, e, em breve, inauguraremos um CAPS tipo 3, voltado para a saúde mental”, completou.

INVESTIMENTO– O governador Agnelo Queiroz ressaltou que investimentos estão sendo feitos em todas as áreas para melhorar a saúde no DF.

“Nos últimos dois anos e meio contratamos 13 mil servidores para a saúde, o que mostra que, além de investir na infraestrutura, temos que trabalhar também para melhorar os recursos humanos que tornam o atendimento mais humanizado”, explicou Agnelo.

Foi anunciado também a construção de seis novas UPAs ainda este ano, em cidades como Sobradinho II, Gama e Asa Norte.

As unidades voltadas à atenção primária contam com um novo modelo de abordagem, que incluiu a contratação, pela primeira vez na história, de funcionários capacitados para a recepção dos pacientes.

“Muitas vezes as pessoas chegam nervosas, sem saber onde conseguir informações e que unidade de saúde procurar, nesse sentido, atuamos para orientá-las, o que geralmente as acalma e facilita o atendimento dos profissionais de saúde”, contou Gerlane de Souza, recepcionista da UPA de Samambaia.

A implantação do programa de orientação dos pacientes durante o acolhimento faz parte da estratégia de humanização de todas as unidades de saúde do DF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui