Saúde distribui 15 câmaras para conservar vacinas

0
30

Equipamentos doados pela Neoenergia vão atender sete unidades e contribuir com a redução do gasto de energia

Jurana Lopes, da Agência Saúde-DF | Edição: Margareth Lourenço

Os 15 refrigeradores científicos destinados a armazenar vacinas e doados pela Neoenergia estão distribuídos pela rede de saúde pública do DF. A doação feita pela concessionária integra o Programa de Eficiência Energética (PEE), regulado pela Agência Nacional de Eficiência Energética (Aneel).

As câmaras de conservação são de fabricação nacional e têm capacidade de 280 litros. O consumo dos refrigeradores científicos foi compensado com o recolhimento de 30 equipamentos de refrigeração antigos, que serão reciclados e retirados do sistema elétrico para reduzir o consumo de energia.

O secretário-adjunto de Assistência, Pedro Zancanaro explica que as geladeiras para acondicionamento de vacinas são parte importantíssima de toda a estratégia de vacinação por trás do recebimento e distribuição dos imunizantes. Ele detalhou que o armazenamento de cada vacina segue protocolo específico determinado pela Anvisa e pelo próprio fabricante, de acordo com os estudos clínicos.

Assim, ao receber do Ministério da Saúde os imunizantes, a Rede de Frio central armazena e distribui para as Redes de Frio das sete regiões de saúde. Por isso, “essas regiões têm que ter infraestrutura semelhante à central para acondicionar essas vacinas e garantir que cheguem ao braço do paciente e nas UBSs com garantia de conservação e máxima qualidade”, informou.

Zancanaro destacou que as novas geladeiras contribuem para atualizar o parque tecnológico da Rede de Frio e padronizar o uso de equipamentos mais modernos,com baterias que resistem até 12h sem energia. Possuem também display ligado à internet e ao telefone. Caso a temperatura ou energia caiam é acionado um alarme. “Além de apoiar o Distrito Federal nessa questão do armazenamento correto de vacinas e medicamentos, a ação busca reduzir o consumo de energia”, destacou Frederico Candian, presidente da Neoenergia Brasília.

Do total de 15 câmaras, nove foram encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-DF) e cada uma das outras seis foram distribuídas para: a Gerência de Apoio Operacional das Unidades de Atenção Especializada no Guará; o Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Imunização da Região Norte; a Gerência de Serviços de Atenção Primária número 5 de Santa Maria; o Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Imunização da região Oeste; a UBS 1 de Taguatinga e UBS 7 de Samambaia.

A chefe do Núcleo da Rede de Frio, Tereza Luiza Pereira, explica que desde 2019 a Secretaria de Saúde vem modernizando as câmaras de vacina. “O local com mais geladeiras antigas era o Lacen, que utiliza os equipamentos para o armazenamento de amostras biológicas. Por isso, a unidade ficou com a maior parte das câmaras”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui