‘Se há uma ilegalidade, é da deputada Liliane’, diz Celina Leão

0
22

 

Parlamentar convoca a imprensa para esclarecer os áudios comprometedores. Além de desqualificar as conversas, ela disparou contra o Buriti

Ed Alves/CB/D.A Press

Visivelmente aborrecida, a presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão (PPS), convocou a imprensa para rebater a denúncia da deputada Liliane Roriz (PTB), que revelou um suposto esquema de cobrança de propina pelos integrantes da Mesa Diretora da Casa a hospitais que prestaram serviço de UTI ao Governo do Distrito Federal. A distrital atacou a rival, desqualificou o vazamento dos áudios e disparou contra o Palácio do Buriti. Em pouco mais de 15 minutos, falou bastante e respondeu poucas perguntas. Levantou a voz, gesticulou muito e desafiou quem pudesse comprovar o que chamou de “armação”. “Se há uma ilegalidade, é da deputada Liliane, porque a emenda é dela, quem tem de responder é ela e o GDF, que usou o recurso”, frisou.

O cenário para o afronte foi o mesmo de uma reunião realizada no início da manhã com 22 parlamentares. Os olhos vermelhos e as olheiras expunham a noite alvoroçada. Celina atribuiu a divulgação do escândalo ao governador Rodrigo Rollemberg (PSB). “O governador está fazendo isso porque a CPI envolve a família dele. Liliane mente e está fazendo isso a mando do Buriti. Tenho muita tranquilidade e vamos desmascará-la”, acrescentou.

A parlamentar comentou declarações constrangedoras divulgadas na quarta-feira e negou ter negociado cargos com uma empresa vencedora de licitação na Casa. Sobre os comentários a respeito do suposto uso de maconha por parte do governador Rodrigo Rollemberg, ela afirmou que as declarações foram retiradas de contexto. “Falei aquilo em um almoço informal, de conciliação. Ela foi leviana de tirar as falas de contexto. Ela montou um circo para sair do foco das investigações, justamente no dia em que seria julgada. Ela fez isso como forma de retaliação”, ironizou. Celina saiu da sala furiosa, amparada por assessores e vigilantes.

Liliane Roriz
Esta Casa buscará a verdade. O que estamos passando é uma armação. Temos a percepção de que, nos meandros, uma parlamentar da base do governo se diz surpresa com supostas ilegalidades, mas, diante da fala e dos fatos, não há nenhuma conexão. A deputada Liliane Roriz está passando por processo de quebra de decoro parlamentar, onde ela está sendo investigada pela Mesa da Casa. Há um mês, enviamos à Procuradoria da Casa e pedimos informação e cópia integral do processo. Quando pedimos, ela se sentiu coagida e pressionada pela situação. Esta casa nunca vai se furtar de investigar qualquer colega que tenha supostas ilicitudes. A acusação da deputada Liliane é totalmente falha, porque a emenda parlamentar é dela. A emenda que ela usa para acusar a Mesa é dela. É do gabinete da vice-presidência. Quem propôs a emenda foi a Liliane. Se existe uma ilegalidade, ela que tem que responder. O sentimento que fica na Mesa Diretora é que ela quis ameaçar e desqualificar os deputados numa investigação que ocorre dentro da Casa. Se ela tinha a percepção de alguma ilegalidade, por que propôs, votou e pagou a emenda? Todo o trâmite tem que ser respondido pela própria deputada autora da emenda. Ela mente dissimuladamente na tentativa de tirar a responsabilidade dela no processo.

Rollemberg
É uma tentativa covarde do governo de desqualificar a CPI da Saúde, mas ele não conseguirá. Hoje (ontem), a CPI está funcionado normalmente. Todos os empresários que receberam qualquer recurso de emendas serão convocados por essa Casa para prestar esclarecimentos e ficarmos sabermos se teve algum pedido e de onde partiu. A fala do Palácio do Buriti reforça as minhas acusações. Só que uma trama dessa, montada com uma dose de crueldade, mas com muita mentira, não vai se estabelecer. O que existe é a tentativa de desconstrução da CPI. É uma retaliação do Buriti, e não é só pela reeleição da Mesa Diretora. Estamos com uma CPI que envolve a família do governador. A gente está avaliando se a denúncia foi a mando do governo, mas, no dia do julgamento da deputada, ela tenta criar esse circo, colocando alguma suspeição sobre alguns deputados e se colocando como uma paladina da justiça. Isso não é real.

Articulação
Todas as vezes que eu falei com o secretário (de Saúde) Fábio Gondim — inclusive, a última vez em que falei com ele foi em outubro e a emenda de R$ 30 milhões foi votada em dezembro —, fizemos isso publicamente. Ela (Liliane Roriz) é uma mentirosa contumaz. Não é a primeira vez que tem um aporte da deputada para a Saúde. Teve outra emenda do bloco da deputada, de R$ 27 milhões, e eu não quero acreditar que houve desvios. Isso vai ser desmascarado.

maconha
A Liliane uma vez me chamou para uma almoço de conciliação na casa dela. Sempre tive muitos problemas com ela. Talvez seja inveja do meu crescimento político — ela responde a quatro processos na Justiça e eu não tenho nenhum. Conversávamos de maneira informal, quando surgiu o questionamento do governador usar produtos ilícitos. Isso foi colocado de forma coloquial e ela concordou. Foi uma conversa descontraída. 

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui