SERÁ QUE AGACIEL VAI AJUDAR ARRUDA?

30
9

Quanto dinheiro José Roberto Arruda está disposto a gastar para ter um futuro político? A verdade é que o ex-governador pensa seriamente em candidatar-se para deputado federal nas eleições de 2014. Isso, apesar de as contas do governo Arruda, referentes ao período de 2009, terem sido totalmente rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal e, assim, o ex-governador corre risco de figurar na lista das pessoas proibidas de exercerem cargos públicos. Na Câmara Legislativa do DF, o deputado distrital Agaciel Maia (PTC), presidente da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças, terá poder de decidir o destino de Arruda.

Quanto deboche! Será que o deputado distrital Agaciel Maia (PTC) vai aprovar as contas do governo Arruda, referentes ao período de 2009, que foram totalmente rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal?

Protagonista do escândalo dos atos secretos quando era diretor geral do Senado Federal, Maia atualmente ocupa uma das funções importantes da Câmara Legislativa do Distrito Federal: ele preside a Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF). Tal comissão é a única na CLDF que tem mérito para analisar contas do governo local.

Após serem rejeitadas pelo TCDF, as contas do ex-governador José Roberto Arruda já foram remetidas à CLDF. Atualmente, a papelada está sobre a Mesa Diretora do legislativo local.

Diferente dos processos que responde na Justiça, que podem se arrastar por anos e anos a fio beneficiados por recursos interpostos por advogados, a decisão do TCDF no entanto pode tornar Arruda inelegível num curto espaço de tempo.

Ocorre que o ex-governador pensa em eleger-se deputado federal nas eleições de 2014.

E Arruda já contratou gente com notório saber jurídico, verdadeira tropa de choque para também atuar no meio político para tentar  mudar o jogo. A tropa tem a incumbência de afastar a possibilidade de Arruda entrar na lista dos nomes impedidos de exercer cargos públicos.

Sobre isso, alguns assessores da CLDF, que pediram para não ser identificados, disseram à reportagem da Gazeta do DF que abominam qualquer possibilidade de atuação da tropa de Arruda dentro daquela Casa na tentativa de subverter o relatório do TCDF que rejeita as contas do ex-governador. Os mesmos assessores se mostram apreensivos com a possibilidade de Arruda buscar, através de meios políticos escusos, “encaixar ressalvas ao relatório final das contas e altera a conclusão do TCDF”.

De fato, fontes políticas confirmaram à reportagem que “caso consiga as ressalvas, Arruda ganharia sobrevida política”.

Bastidores – Ex-todo poderoso diretor do Senado responsabilizado pela emissão de boa parte dos 663 atos de nomeação, demissão e transferência de servidores sem a devida publicação no Boletim Administrativo do Pessoal, como determinam as regras internas, Maia não fez tudo isso de graça. Recebeu as indevidas vantagens pessoais e pecuniárias, que podem ser comprovadas pelo fato de ele possuir uma luxuosa mansão em Brasília, adquirida desde 1996, que não poderia ser comprada com o salário de então.

Agora, em tese, como presidente da CEOF, Maia ocupa uma posição chave para a decisão do destino político de Arruda. Quando os documentos do TCDF forem encaminhados à comissão presidida por Maia, o futuro do ex-governador estará nas mãos do deputado distrital. E tal poder de Maia está garantido no Artigo 64 do Regimento Interno da CLDF, que elenca a atribuição da CEOF.

Em suma: aquela comissão é a única no legislativo local com autonomia para julgar as contas do governo do DF.

A situação ganhou ainda mais importância depois que o ex-governador, que foi afastado do governo do DF após protagonizar um dos maiores escândalos políticos do país no episódio conhecido como Mensalão do DEM, descobrir recentemente, através de pesquisas contratadas por aliados, que detém cerca de 20% de aceitação popular. Isso, sem qualquer campanha de propaganda e apesar de todo o passado negro que Arruda protagonizou.

Agora, com base no resultado dessa pesquisa popular, o ex-governador passou a acreditar que poderá eleger-se deputado federal.

Informalmente, ele até já trabalha para isso, embora não tenha ainda se filiado a qualquer partido político. Bom de papo, sempre que pode Arruda freqüenta uma academia de ginástica situada no Plano Piloto, onde joga conversa fora, amistosamente, com outras pessoas no local. Lá, ele fala de política e dá o seu recado…

Agaciel – Sobre o assunto, a reportagem ouviu Maia. “Quando os documentos forem encaminhados à CEOF vamos dar toda a celeridade ao processo. Lembramos que são muitas caixas de documentos”, comentou o parlamentar. “Será a Câmara que vai aprovar ou não as contas de Arruda, o TCDF não pode decidir isso. De minha parte, vou cuidar de cumprir o Regimento da Câmara”.

Fonte: Gazeta do DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui