Sudeco capacita mulheres para trabalhar na construção civil

    0
    7



    Ao se deparar com os dados, que mostram que dos 90 mil empregados na Construção Civil no Distrito Federal, apenas 3% são mulheres, ou seja, 2,7 mil, o diretor-superintendente da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste(Sudeco), Marcelo Dourado, teve uma ideia que se transformou num programa de sucesso, que alia capacitação à inclusão social e deverá em breve expandir-se para toda a região Centro-Oeste.

    Trata-se do Programa Mulheres na Construção, um programa de qualificação, prioritariamente de mulheres e beneficiários de programas sociais de transferência de renda, que oferece cursos de pintoras de obras e azulejistas.

    “De cada 15 famílias monoparentais na região Centro-Oeste, 14 são chefiadas por mulheres, ou seja, investir nas mulheres é investir na inclusão econômica dessas famílias porque o dinheiro que as mulheres ganham elas investem na própria família”, afirma Marcelo Dourado, que esteve nesta sexta-feira no canteiro de obras em Samambaia, acompanhado do chefe de gabinete da Sudeco, Henrique Oliveira, e dos parceiros do programa.

    As primeiras turmas do Programa Mulheres na Construção estão prestes a formar 200 mulheres. Entre as participantes o que se ouve são relatos extremamente positivos sobre o impacto que o curso está tendo em suas vidas.

    Marcélia Alves da Costa, 37, veio fazer o curso como uma forma de encontrar uma profissão, “está valendo a pena, porque é uma oportunidade da gente melhorar a vida”, diz ela animada. Belinha de Medéia, 43, sempre teve vontade de colocar cerâmica em sua casa, um serviço que ela considera “muito caro”, “eu mesmo quero sentar a cerâmica na minha casa”, diz, “e depois vou com certeza trabalhar na área”, completa.

    Parceiro da Sudeco no Programa, o Sinduscon/DF deverá inserir as mulheres no mercado de trabalho. Para o presidente do Sinduscon, Julio Peres, existem vantagens em se contratar mulheres para o trabalho na construção civil, “ a mulher é muito mais detalhista, não tem retrabalho, tem mais assiduidade, falta menos. Temos expectativa muito grande, que essas mulheres que estão fazendo o curso agora, passem depois para o estágio nas empresas e tenho certeza que serão contratadas”, afirma Peres.

    O Instituto Federal de Brasília(IFB) está sendo responsável pela formação das inscritas. As aulas iniciaram e abril desse ano, ao todo são cerca de cinco meses de aulas nos campus do Instituto Federal de Brasília de Taguatinga e Samambaia. Os canteiros de obras usados para as aulas práticas são centros comunitário que precisavam de reparos. Para o senador Rodrigo Rollemberg, “trata-se de um projeto muito interessante porque uma das áreas onde o país tem mais carência é na capacitação de mão-de-obra e esse curso abre uma nova perspectiva na vida dessas mulheres”, acredita Rollemberg.

    “Os alunos de cursos técnicos do IFB estão estagiando ajudando na orientação da mulheres que participam do curso”, afirma a professora e coordenadora do Mulheres na Construção no IFB, Josileide Pereira da Silva, ela completa dizendo que no encerrando serão entregues os certificados de participação e aprovação nos cursos e também será divulgado o resultado de um concurso de poesia entre as participantes.

    Novas turmas

    Em outubro serão realizados novos cursos de azulejista e pintora de obras para beneficiar 240 mulheres nas regiões de Samambaia/DF e Águas Lindas/GO. A Sudeco investiu R$ 1,1 milhão para a realização dos cursos. Em Águas Lindas os cursos acontecerão em uma carreta adaptada para esse fim.

    O programa é destinado preferencialmente às mulheres maiores de 18 anos, com escolaridade mínima da 4ª série do ensino fundamental.  A seleção será feita seguindo critérios como renda, número de filhos, local de moradia, entre outros. No decorrer do curso, cada participante receberá uma Bolsa de Estudos no valor de R$ 200,00/mês do IFB que servem como ajuda nos gastos com deslocamento e alimentação. Foram oferecidas 200 vagas no primeiro semestre de 2012, e agora serão seis turmas para o segundo semestre com 240 vagas.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui