SUSPEITA DE CACHÊS SUPERFATURADOS

2
39

Do Correio Braziliense deste sábado (13): A planilha de gastos para a festa dos 50 anos de Brasília será revisada a partir da próxima segunda-feira por integrantes de uma comissão que contará com a fiscalização da Corregedoria-Geral do DF. Há indícios de que valores orçados de infraestrutura e dos cachês de artistas estejam superestimados. Uma das cifras que chamou a atenção dos governistas recém-chegados ao poder são os R$ 7 milhões previstos para o aluguel de banheiros químicos e de tendas e a montagem de palcos. Os R$ 463 mil para a dupla sertaneja Bruno e Marrone e os R$ 400 mil para o cantor Luan Santana também estão sob avaliação.

Produtores musicais com experiência em contratação de shows ouvidos pelo Correio avaliaram que os cachês registrados na planilha da Empresa Brasiliense de Turismo (Brasiliatur) estão acima do mercado. Em geral, a dupla Bruno e Marrone cobra em torno de R$ 200 mil por apresentação. Segundo um produtor que não quis se identificar, como Luan Santana é bem menos conhecido, seu cachê ficaria abaixo desse valor. Outro show programado, da banda NXZero, está orçado em R$ 120 mil.

Diante dos valores negociados pela Brasiliatur, o secretário de Cultura, Silvestre Gorgulho, afirma que essas atrações “subiram no telhado”. O governo quer cortar para menos da metade a previsão de custo inicial, na casa dos R$ 20 milhões. A meta é realizar a festa com até R$ 8 milhões. A avaliação é de que o momento de crise não combina com ostentação. Por isso, o conceito de comemoração do cinquentenário mudou. “O foco será no resgate da autoestima do brasiliense. Vamos privilegiar bandas e cantores da cidade”, disse Gorgulho.

Nos últimos três anos, o governo gastou com festas e homenagens R$ 115 milhões, segundo informações do Sistema Integrado de Gestão Governamental (Siggo), que monitora os gastos oficiais.

Só em 2009, foram repassados R$ 76,3 milhões a empresas de eventos terceirizadas pela Brasiliatur e pelas secretarias de Trabalho e de Cultura. Apenas nos primeiros meses deste ano, o Siggo registrou o pagamento de R$ 5,7 milhões com essa finalidade.

O orçamento do aniversário de Brasília não é a primeira polêmica envolvendo a Brasiliatur. Em maio de 2008, o governador José Roberto Arruda anunciou um pente-fino nas contas da estatal e a suspensão de todos os contratos firmados pela empresa com prestadoras de serviços, que somavam R$ 93 milhões. A medida ocorreu após reportagem do Correio revelar que a Brasiliatur pagou R$ 850 mil a uma empresa brasiliense para montar a Tenda Fashion no Rock In Rio Lisboa, megaevento de música pop. Apesar das duras palavras ditas por Arruda na época, ninguém acabou punido.

Novo escândalo, um ano depois, no carnaval de 2009. Então presidida pelo deputado distrital Rôney Nemer a Brasiliatur deu R$ 800 mil ao desconhecido cantor baiano Edu Casanova para ele se apresentar como garoto-propaganda na folia de Salvador e compor um hino para as comemorações do cinquentenário da capital. O mesmo artista havia recebido R$ 60 mil para cantar no réveillon da Esplanada dos Ministérios, dois meses antes. Cachê bem menor do que o das outras atrações: Chitãozinho e Xororó (R$ 300 mil), NXZero (R$ 220 mil) e Exaltasamba (R$ 220 mil). Mas, dessa vez, o governador não viu nada de errado com a despesa nem mandou abrir sindicância.

Os gastos com a festa de 48 anos de Brasília foram alvo de denúncia ao Tribunal de Contas do DF. A estatal pagou R$ 2,2 milhões à empresa Aplauso Organização de Eventos Ltda. para a realização do evento. Não houve licitação. Também causaram estranheza os altos valores para a contratação das atrações musicais. Somente o grupo mexicano RBD recebeu R$ 760 mil. A banda Chiclete com Banana faturou R$ 492,5 mil.

Durante a gestão de Arruda, a Brasiliatur ficava sob o comando de Paulo Octávio. Para os 50 anos de Brasília, ele chegou a pensar em trazer artistas como Madonna e Paul McCartney. Hoje, a Brasiliatur é presidida por João Oliveira, pessoa da confiança de Paulo Octávio. “Os custos do cinquentenário estão adequados às necessidades. Vamos fazer uma comemoração completa com um orçamento enxuto”, afirmou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui