TRIBUNAL DE CONTAS APONTOU CRESCIMENTO DE EMPRESA NO GOVERNO ARRUDA

0
7
Em relatório aprovado no fim 2007, o tribunal destaca que a Linknet – apontada na Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, como uma das principais operadoras do esquema de corrupção envolvendo o governador José Roberto Arruda – prestava serviço à Codeplan mesmo após ter o seu contrato rescindido e alertava que, em um ano, a dívida do governo poderia “alcançar a cifra de R$ 213 milhões”. O relatório do Tribunal de Contas pode servir para confirmar o repasse de supostas propinas envolvendo empresas prestadoras de serviço do governo do DF, relatado no inquérito policial.
O esquema denunciado pelo ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa funcionaria da seguinte maneira: as empresas prestavam serviço ao governo do Distrito Federal sem a autorização de Arruda para contratação ou para realização de licitação. Sem a cobertura contratual, segundo Barbosa, as empresas prestadoras de serviço acumulavam créditos junto ao governo. Isto obrigava a um “reconhecimento de dívida” por parte do governo, o que era uma forma de “legalizar o ilegal”, segundo a polícia. Com isso, afirma o ex-secretário, as empresas ficariam endividadas e pagariam “mais que a propina acertada previamente em troca da liquidação das faturas”. Segundo a PF, o empresário Gilberto Lucena, proprietário da Linknet, foi filmado entre maio e julho de 2009 nas dependências da Secretaria de Relações Institucionais, no 10° andar do Anexo do Palácio do Buriti. Na gravação, Lucena negocia com Barbosa a partilha de dinheiro para o governador José Roberto Arruda e para o vice-governador Paulo Octávio.
Fonte: iG

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui