UMA CPI PARA A DIELBOLD PROCOMP

    17
    8

    Diante de graves denúncias veiculadas pelo blog acerca da empresa Dielbold Procomp, um deputado federal pediu informações à Justiça de São Paulo sobre os processos e inquéritos que tramitam contra a empresa.

    São graves acusações que envolvem cárcere privado, grampos ilegais, coação,  tortura, falsificação de documentos entre outros, praticados pela Dielbold Procomp. Esta empresa é aquela  que conseguiu vender  urnas eletrônicas ao TSE, que de tão “eficientes” que são, países desenvolvidos não as utilizam em suas eleições, principalmente os Estados Unidos, mundialmente conhecido por sua riqueza e democracia.

    Segundo relatos de ex-funcionários, as urnas eletrônicas são de fato, violáveis. Certo funcionário ouvido pelo blog foi mais longe: “Se aprofundar mesmo o resultado das eleições, desde 2002,  o Brasil conhecerá  verdades absurdas e escandalosas sobre o submundo tecnológico das urnas eletrônicas e a manipulação de resultados”.

    No Congresso Nacional, já  existe a  possibilidade do pedido de instalação de uma CPI para investigar a atuação da empresa, seus contratos com o TSE e o que de fato envolve a utilização das urnas eletrônicas nas eleições do Brasil. De fato, nas últimas eleições, a realidade das ruas não se viu refletida nas urnas em vários estados. É preciso investigar e passar à limpo esta história. Doa a quem doer.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui