Vasco causou prejuízo de mais de R$ 5 milhões à REGIUS (E ainda quer ser presidente do BRB…)

0
15

BRBTem um grupo dentro do Banco de Brasília, que há anos usufrui do poder e teme mudanças bruscas na direção da instituição. Agora eles tentam emplacar na presidência do BRB, com a suposta bênção de alguns membros da  equipe do futuro governador Rodrigo Rollemberg, o nome de Vasco Cunha Gonçalves.

Entretanto, o funcionário de carreira Vasco juntamente com Elias José Pereira de Souza Filho, Hugo Arnaldo Bicalho, Marcos André Prandi e Paulo Morais Júnior, foram autuados em 30/11/2005 por aplicarem os recursos garantidores das reservas técnicas, provisões e fundos dos planos de benefícios em desardo com as diretrizes estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional. Eles comandavam o Comitê de Investimentos da Regius, Sociedade Civil de Previdência Privada dos funcionários do Banco de Brasília.

No Processo de número 44000.002846/2005-72, a parte interessada, neste caso a REGIUS, teve o relatório da Câmara de Recurso da Previdência Complementar – CRPC – amplamente favorável. De acordo com o relatório da CRPC, a REGIUS adquiriu em 08/06/2004, um Certificado de Depósito bancário – CDB emitido pelo Banco Santos S/A no valor de R$ 5 milhões, com o prazo de resgate para 181 dias, isto é, para resgate em 06/12/2004, sendo então o valor provisionado de R$ 5.396.920,00 absorvido como prejuízo à entidade.

O mesmo relatório informa ainda que, mencionada aplicação contou com a aprovação do Comitê de Investimentos da entidade, conforme estabelecia a instrução normativa da REGIUS IGD-004/1999 de 09/12/99 para aplicações nesse segmento e nesses valores (fls. 7 e 41/48 do processo 44000.002846/2005-72), e que tal órgão se utilizou do relatório elaborado pela consultoria de investimentos contratada pela REGIUS – a Lopes Filho & Associados – para fornecimento e manutenção de Sistema de Classificação de Risco Bancário, denominado RISKBANK.

regius

 

 

 

 

 

 

 

 

regius2

 

 

 

 

 

 

 

 

Relata ainda que, embora a classificação do RISKBANK no período de 2002 a 2004 indicasse a aplicação em CDB do Banco Santos como de baixo risco de crédito apenas para o curto prazo (leia-se, até 90 dias), o Comitê de Investimentos da REGIUS realizou a operação com prazo de 181 dias para resgate, desconsiderando assim a recomendação da consultoria contratada, causando prejuízos para a entidade na ordem de 5,3 milhões de reais na data de intervenção do Banco Santos pelo Banco Central em novembro de 2004.

Diante de tal conduta do Comitê, a CRPC entendeu que o então órgão estatal caracterizou a infração descrita no AI 26/05-17 (fls. 1/8), de 30/11/2005. Os membros do Comitê de Investimentos foram autuados e a CRPC aplicou uma multa pecuniária no valor de R$ 20 mil.
Ou seja: Vasco Cunha colaborou para que a REGIUS fizesse uma operação de alto risco com o Banco Santos, causando um prejuízo de R$5,3 milhões à entidade. Vasco está na equipe de transição do BRB e afirma aos quatro ventos que será o novo presidente do Banco com o apoio inclusive do atual presidente, Alair Vargas, ex-chefe de gabinete da deputada Érika Kokay (PT).

Com esse relatório da Câmara de Recursos da Previdência Complementar, caso o nome de Vasco seja anunciado por Rollemberg, dificilmente passará pela sabatina a ser realizada pela Câmara Legislativa do DF.

E agora, governador Rollemberg? Vai ceder aos mesmos de sempre no BRB? Os servidores querem gente nova e comprometida com o banco.

Fonte: Donny Silva

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui