“Vivemos uma epidemia de insegurança”, diz novo presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

 

Entidade fundada em 1949 é a maior e mais representativa da categoria em nível estadual

 

A Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo realizou nesta segunda-feira, dia 19, a cerimônia de posse de André Santos Pereira, seu novo presidente, e do corpo diretivo da entidade para o triênio 2024-2026. O evento aconteceu na Assembleia Legislativa.

 

Em seu discurso, André Santos lembrou de sua trajetória nna segurança pública. “Fui investigador da Polícia Civil por nove anos e também fui soldado da PM ingressando na corporação aos 18 anos de idade. Estou aqui em São Paulo como delegado há seis anos e há três na ADPESP”, falou.

 

O delegado fez questão de ressaltar a importância de valorizar a investigação de crimes pela polícia judiciária, o delegado operacional, os delegados acadêmicos e aqueles que ficam na parte administrativa. “Precisamos de todos eles. Nosso dever é pela segurança pública e defesa da sociedade”, disse.

 

André Santos comparou a atual situação da insegurança a uma passagem do clássico de Gabriel García Márquez, Cem Anos de Solidão: uma epidemia de insônia. “A epidemia que vivemos hoje, da insegurança, tira o sono da população, do trabalhador e do empresário”, criticou.

 

“O artigo 144 da Constituição diz que o Estado tem o dever da segurança pública, mas todos nós temos essa responsabilidade”, lembrou o delegado durante seu discurso. “Nós, delegados, com o dever pela segurança pública, temos que ter uma gestão de construção, equilíbrio e independência. Segurança pública não será melhorada com falácias. Nosso valor é pela defesa do Estado Democrático de Direito. Nossa visão é ser uma entidade de classe de excelência na representação dos delegados de polícia”, disse André Santos.

 

O delegado também disse que vai continuar na defesa do projeto que defende que policiais aposentados permaneçam com suas armas que a instituição lhes forneceu. “Um dia, combatendo o crime organizado. Em outro, tendo que tirar dinheiro do próprio bolso para comprar uma arma para se defender”, criticou.

 

O novo presidente da ADPESP, a maior e mais antiga Associação estadual de delegados de polícia do Brasil, finalizou dizendo qual seria sua filosofia de trabalho: “Quando servimos a alguém, ao próximo, não tem como dar errado. Servir é uma ferramenta universal e de grandes resultados”

 

A cerimônia teve as presenças do secretário de Segurança Pública, Guilherme Derrite, do secretário-executivo de Segurança Pública, Delegado Osvaldo Nico, do Delegado Geral da Polícia Civil e do deputado estadual Delegado Olim, entre outras autoridades.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui