CAIXA DE PANDORA: GURGEL DIZ QUE SITUAÇÃO NO DF CONTINUA EXTREMAMENTE GRAVE

0
6
OPERAÇÃO CAIXA DE PANDORA – DISTRITO FEDERAL
Gurgel diz que situação no DF continua extremamente grave

Débora Santos, do G1

Ao comentar a tramitação do pedido de intervenção no Distrito Federal, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta terça-feira (18) que a situação do governo e do Poder Legislativo locais “continua extremamente grave”. Para ele, o pedido de intervenção federal feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) precisa ser julgado o mais breve possível.

“Procura-se manter uma aparência de normalidade, mas na verdade os mesmos problemas que levaram a PGR a pedir a intervenção subsistem. Nós continuamos com um quadro de amplas e profundas irregularidades disseminadas no poder Executivo e no poder Legislativo”, disse Gurgel.

Sobre o pedido feito pelo presidente do STF, ministro Cezar Peluso, nesta segunda-feira (17), para que os procuradores do governo do DF e da Câmara Legislativa encaminhem novas defesas sobre o processo, Gurgel afirmou que a medida é uma cautela. A intenção, segundo ele, é evitar que de algum modo se afirme que foi cerceado o direito de defesa dos poderes locais.

Gurgel afirmou ainda que conversou com o ministro Peluso apenas de forma genérica sobre o pedido de intervenção. “Ele está perfeitamente consciente sobre a necessidade de que isso seja apreciado com a maior brevidade possível”, disse.

Processo
Segundo a assessoria do STF, Peluso – que é relator do processo – tomou a decisão de pedir nova manifestação das defesas depois que a PGR encaminhou o detalhamento de como deveria acontecer a intervenção federal no Poder Legislativo. O pedido de explicação havia sido feito pelo ex-presidente do STF Gilmar Mendes.

A assessoria do STF informou que o ministro Cezar Peluso só começou analisar o processo depois de ter tomado posse como presidente do Supremo, no dia 23 de abril. O regimento interno do STF determina que pedidos de intervenção federal sejam relatados pelo presidente da corte.

Caso
O pedido de intervenção foi feito pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, diante do inquérito da Polícia Federal que investiga denúncias de um suposto esquema de pagamento de propina envolvendo parlamentares e membros do Executivo do governo do DF, que ficou conhecido como mensalão do DEM.

O inquérito sobre o mensalão do DEM levou à prisão e afastamento do então governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) por tentativa de suborno de uma testemunha do caso, em fevereiro. Durante a prisão, Arruda teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do DF por infidelidade partidária, deixando vago o cargo. Ele foi solto pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) no dia 12 de abril, após permanecer dois meses preso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui