Empresa contratada pelo Na Hora emprega filhas de comissionados

1
175
Brasília(DF), 18/10/2016 - Na Hora - Rodoviaria do Plano Piloto - Foto: Michael Melo/Metrópoles

A ATP é responsável pela prestação de serviços do Na Hora e recebe, anualmente, quantia que pode ultrapassar R$ 10 milhões dos cofres locais

MICHAEL MELO/METRÓPOLES

Dois executores de contratos celebrados entre o Governo do Distrito Federal (GDF) e a empresa ATP Tecnologia e Produtos S.A. emplacaram as próprias filhas no quadro funcional da companhia contratada. Vencedora do pregão eletrônico para prestar serviços de operação, manutenção, recepção, triagem e apoio à gestão das unidades do Na Hora, a ATP admitiu, no primeiro semestre, Cristiane Farias Borges e Nathalia Emily de Souza Pinheiro.

Elas são filhas de Nilson José Borges e Renato Pinheiro Gomes, respectivamente. Os pais ocupam cargos comissionados dentro da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) e atuam como gestores do Na Hora.

Nilson José Borges é chefe da Unidade de Gestão Operacional do órgão e é um dos responsáveis pelo contrato que ultrapassa o valor de R$ 10 milhões por ano. Pelo cargo, ele recebe o salário bruto mensal de R$ 6.506,35. A filha dele, Cristiane, trabalha como atendente no posto de serviços ao cidadão do Riacho Fundo.

Já no outro caso semelhante, o gerente da unidade do Na Hora em Ceilândia, Renato Pinheiro Gomes, é também executor do contrato local do GDF com a mesma empresa. A função reserva a ele um rendimento bruto de quase R$ 3 mil. Filha dele, Nathalia também conseguiu emprego na ATP, conforme base de dados do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

Ela recebe o público diariamente que busca o Na Hora da Rodoviária do Plano Piloto. Pelos serviços, ambas foram contratadas por um salário líquido aproximado de R$ 1,5 mil.

Outro caso

Há também a situação de uma ex-empregada da referida empresa nomeada para assumir assessoria especial do Na Hora. Ana Carolina Morais foi funcionária por 1 ano e 11 meses da ATP, segundo o LinkedIn, rede social que conecta profissionais.

Entretanto, passou a trabalhar no grupo de trabalho criado pela Sejus para elaborar o Termo de Referência para o novo contrato dos serviços atualmente prestados pela ATP. Pelo cargo no órgão, ela recebe quase R$ 4,6 mil.

No perfil da plataforma digital, Ana Carolina informa ter sido responsável pela equipe de atendimento ao cidadão no Projeto Na Hora, além de monitorar a qualidade de atendimento, “dando suporte e orientando a equipe. Relatórios mensais, analise do Contrato, fechamento da folha dos funcionários, feedback na equipe, reuniões de alinhamento” e monitorar a equipe de manutenção predial.

Fonte: Metrópoles

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui