Entre os materiais descartados estão CPU’s, monitores, notebooks e teclados

0
6

residuos

A Administração Regional do Lago Sul entregou na Cooperativa Central de Reciclagem do Varjão, os resíduos eletrônicos coletados no posto de coleta disponível para a comunidade na entrada da administração. Entre o material descartado estavam CPU’s, monitores, notebooks, teclados, impressoras, no breaks, estabilizadores, televisores e celulares. Esse tipo de lixo não pode ser jogado na rua, nem no lixo comum. Entregues em locais adequados, esses materiais geram renda aos catadores das cooperativas.

É o que acontece na Central de Reciclagem, cujo trabalho é realizado por 17 mulheres da região capacitadas para fazer a separação de materiais recicláveis e os resíduos eletroeletrônicos. O local recebe em média doze toneladas mensais de lixo.
A ação faz parte do programa Descarte Legal, realizado em parceria com o Instituto GEA – Ética e Meio Ambiente. O objetivo da parceria é oferecer aos moradores da região um local apropriado para descartar o lixo eletrônico. A cooperada Jandira Rosa, que trabalha há quatro anos na Central de Reciclagem, afirma que a renda dos descartes sustenta a família. “Apesar de a renda ser pouca, eu sustento a minha casa e sempre pedimos para as pessoas descartarem os resíduos eletrônicos nos lugares adequados, pois quanto mais arrecadarmos melhor será a nossa renda”.

A Administração Regional do Lago Sul disponibiliza um ponto de coleta de resíduos eletrônicos. Todo material recolhido é encaminhado às cooperativas capacitadas pelo Instituto GEA, com o apoio do Laboratório de Sustentabilidade da Universidade de São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui