GIM: O SENADOR DE R$ 1 BILHÃO, SEGUNDO A REVISTA ISTOÉ

1
24

Neste domingo, em Brasília, ficou impossível encontrar um exemplar da revista IstoÉ nas bancas da cidade. O motivo? Simplesmente porque aparece uma reportagem em duas páginas que mostram a evolução patrimonial do ex-corretor de imóveis . Pessoas foram vistas comprando dezenas de revistas de uma só vez (tire suas próprias conclusões). Em 1984, Gim Argello tinha um patrimônio de R$100 mil. Em 1998, foi eleito deputado distrital pela primeira vez. Em 2006 declarou à Justiça Eleitoral bens que totalizavam R$805 mil. Em 2007 assumiu a cadeira de senador no lugar de Joaquim Roriz. Em maio de 2009, emplacou seu afilhado político Ivo Borges na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). No início do mês, Gim Argello confidenciou a senadores do PMDB ter patrimônio avaliado em R$1 bilhão. Gim responde a processo no STF por lavagem de dinheiro, crimes contra o patrimônio, apropriação indébita, ocultação de bens, peculato e corrupção passiva. O processo tramita em segredo de Justiça. A revista Istoé não disse, mas eu acrescento o seguinte: em 2001, o então vice-governador do Distrito Federal, Benedito Domingos (PP), me afirmou que o então deputado Gim Argello era homem de “R$10 milhões”, graças aos lotes vendidos em Vicente Pires. E olha que essa informação é de 2001! E como o Bené sabe das coisas… E também tem aquele episódio envolvendo a publicidade da Câmara Legislativa do DF, quando Gim foi presidente. Pedro Passos, ex-deputado distrital, levantou muitas suspeitas e fez várias acusações envolvendo a publicidade da casa na gestão de Gim e de Benício. Não foi ouvido e teve de renunciar ao mandato para não ser cassado pelos colegas. A investigação feita por Passos, chegou ainda ao ex-deputado Wigberto Tartuce e ao deputado Benício Tavares, e o relatório mostrava mais de 200 atos ilegais na publicidade da Câmara Legislativa. Porém, tudo foi devidamente escondido e arquivado. Ninguém quis saber de investigar a publicidade nas gestões de Gim e de Benício. Parte da evolução patrimonial de políticos, passa necessariamente, pela ocupação de cargos de grande relevância, como por exemplo: presidente do Legislativo ou presidente de partido. Gim, à frente do PTB, sempre esteve muito bem nos Correios. Agora, está ainda mais sorridente na ANTT. Para completar: o senador Gim Argello mora no Lago Sul, na Península dos Ministros, em uma casa de 872 metros quadrados avaliada em R$ 5 milhões. Ele também é dono de rádios, jornais e uma franquia da ECT (Correios) no Setor Comercial Sul, com um faturamento anual de cerca de R$100 milhões. Pelo visto, a tradição de Brasília em fabricar senadores envolvidos em escândalos continua. E Gim quer ser governador do DF!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui