RESPOSTA À INTERVENÇÃO

0
6

 

O procurador geral da República, Roberto Gurgel, que parece um fanático pedindo a intervenção federal no DF, disse hoje que Brasília continua mal, cada vez pior, e que não tem mesmo salvação.

O ministro Cezar Peluso pediu ao governador Rogério Rosso que apresente, no prazo de cinco dias, argumentação mostrando que o DF não precisa mais de intervenção.

Para ajudar, faço minuta de resposta que, se o governador resolver aproveitar, certamente suspenderá qualquer ameaça de intervenção. Vamos lá:

Excelentíssimo ministro Cezar Peluso,

Com muita firmeza, digo que Brasília vive novos tempos e revela-se inútil e injusta qualquer iniciativa a favor da intervenção federal, por diversos motivos.

Por exemplo, determinei que o Estádio Mané Garrincha, a ser construído para a Copa de 2014, não tenha mais nenhum compromisso com a quadrilha que acompanhava o ex-governador Arruda. Assim, em vez de custar mais de R$ 700 bilhões (que ao fim de três anos serão mais de R$ 1 trilhão), vou autorizar no máximo o investimento de R$ 300 milhões, num estádio para 30 mil pessoas, compatível com a capacidade de Brasília para esse tipo de público.

Da mesma forma, demonstro que não tenho qualquer compromisso com os projetos do ex-secretário de Transportes, coronel Alberto Fraga, para a instalação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Em vez de autorizar essa obra desnecessária, vou investir no Metrô, que é adorado pela população e está saturado. O VLT é realmente apenas um projeto feito pelo governo anterior como desculpa para levantar quase um bilhão de reais, dinheiro que poderemos usar de forma muito mais honesta se abandonarmos esse plano desonesto.

Anuncio que estou suspendendo a terceirização dos cemitério do DF, já denunciados até em CPI, mas ainda em mãos suspeitas e incompetentes. Chega de explorar viúvas e órfãos!

Da mesma forma, estou enviando hoje projeto de lei à Câmara Legislativa para revogar totalmente o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT), de modo que o próximo governo eleito nas urnas possa reabrir essa discussão, sem suspeitas nem conchavos.

Mandei que todos os contratos feitos pelo programa Pró-DF nos últimos seis anos sejam investigados, diante das denúncias constantes de suborno na entrega de lotes desse programa. O mesmo pretendo fazer em relação à Secretaria de Habitação.

Estou abrindo novas licitações para empresas prestadoras de serviços de informática, assim como para aquelas que há mais de 20 anos exploram mal os serviços de ônibus urbanos no DF.

Determinei à minha bancada na Câmara Legislativa que seja rigorosa no julgamento dos deputados distritais citados na Operação Caixa de Pandora e pedi que sejam feitas gestões para inauguração do próximo prédio desse Poder somente na próxima legislatura, atendendo ao anseio da população brasiliense.

Estou tomando muitas outras medidas moralizadoras desse teor, que poderão ser explicitadas, ao tempo em que determino o afastamento de todos os dirigentes da área de Saúde no DF, a serem substituídos por técnicos que não têm qualquer ligação com partidos políticos ou com parlamentares.

Dessa forma, creio que Brasília está apta a se governar, de cabeça erguida, sem medo de qualquer investigação.
E a intervenção, se vier, apenas irá repetir o que já está sendo feito.

Com profundo respeito,
Rogério Rosso
Governador do DF

Fonte: blog do Riella

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui