DURVAL BARBOSA CONFIRMA SUSPEITAS DO MINISTÉRIO PÚBLICO

4
9

Em um dos depoimentos que prestou à Polícia Federal, Durval Barbosa contou que Roberto Cortopassi esteve com o então governador José Roberto Arruda no primeiro semestre de 2009 para tratar de um empréstimo que fez com o Banco de Brasília, que tinha como objetivo reunir capital necessário para a construção do Residencial Monet, em Águas Claras. Cortopassi teria ido acompanhado de um amigo antigo de Arruda, Renato Malcotti, que no Inquérito nº 650 é considerado um lobista na engrenagem da corrupção descoberta pela Operação Caixa de Pandora.

Nesse encontro, Cortopassi disse a Arruda, segundo Durval, que conhecia vídeos em que ele aparecia recebendo dinheiro. Para o delator, foi uma tentativa de negociar favorecimentos. Durval contou que entregou os vídeos para Cláudia Marques, amiga de Deborah, que os apresentou à promotora.

Deborah Guerner foi denunciada pelo Ministério Público Federal por extorsão a José Roberto Arruda. Ela procurou o governador na Residência Oficial de Águas Claras e teria exigido dele R$ 2 milhões em troca de reserva sobre as gravações. Em um universo de crimes que vão desde falsidade ideológica, passando por fraude processual e extorsão, o aprofundamento das investigações sobre os interesses empresariais dos Guerner tem potencial para revelar uma trilha de crimes ainda mais extensa do que a já desvelada até agora. (Informações do Correio Braziliense)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui