Indicada do vice Renato Santana, Secretaria Adjunta da Saúde, foi exonerada

0
12

Por Delmo Menezes
A secretaria-adjunta da Saúde, Eliene Ancelmo Berg, indicada desde julho de 2015 pelo vice-governador Renato Santana (PSD), para assumir o segundo cargo mais importante da Secretaria de Saúde, foi exonerada pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB). No Diário Oficial do DF desta segunda-feira (13), será publicada a sua exoneração como se fosse “a pedido”. Fontes do Buriti, no entanto, afirmam que sua saída já estava nos planos do Executivo desde o segundo semestre de 2016.

Conforme o Agenda Capital já havia publicado na edição do dia 28 de dezembro do ano passado, a secretária-adjunta, não conseguia dar o suporte necessário por falta de liderança. Nos bastidores comenta-se, que o vice-governador conseguia ter mais acesso na Secretaria, do que pessoas ligadas ao PSB. Isto foi o verdadeiro “estopim” para a sua exoneração.

Leia também:

Saúde, principal causa de rejeição do governo Rollemberg

Uma fonte da alta cúpula do PSB-DF, que pediu anonimato, revelou ao Agenda Capital, que Eliene queria ter mais poder dentro da estrutura da SES, do que o próprio secretário, a ponto de sair nomeando quem quisesse com o aval de Santana. Com os problemas políticos de Rollemberg e do seu vice, a sua saída seria questão de dias, e aos poucos o atual secretário começou a tirar suas forças, perdendo assim espaço dentro da Secretaria.

O indicado para a vaga de Eliene, será o Dr. Daniel Seabra, amigo pessoal do secretário Humberto Fonseca, que estava a frente da Subsecretária de Atenção Integral a Saúde (SAIS), desde março de 2016. Daniel também é médico da família e comunidade, e está na Secretaria de Saúde, desde outubro de 2010. A SAIS é uma das principais Subsecretaria da SES, e a que comanda todos os hospitais da rede.

 

 

Fonte:  Agenda Capital