Escândalo!!! Exclusivo!!! Aldrabão, Mino Pedrosa tenta atingir autoridades e usa até alcoólatra para se promover

0
363

Durante duas semanas fiquei quieto, para que no retorno do Judiciário eu ingresse na Justiça contra a leviandade orquestrada contra mim por notáveis corruptos e por um jornalista sem pudor nem respeito pela verdade, que tentou me usar para atingir o secretário de Comunicação e o vice-governador do DF. VAMOS AOS FATOS:

REPÓRTER E O FACTÓIDE

Não costumo falar de colega,  mas como existe um sujeito que ultrapassa os limites da sensatez e profissionalismo, que envergonha a classe e a cidade, usa seu espaço na internet para atribuir e distorcer fatos contra políticos, jornalistas e empresários, e que recentemente me atacou por eu não contribuir para a construção de maquiavélico plano para desestabilizar o vice-governador do DF,  passo a relatar os seguintes esclarecimentos por acreditar em Deus e confiar na Justiça.

O POST QUE NÃO EXPLODIU 

Sem credibilidade desde que perdeu há tempos o bom senso e o profissionalismo,  Etelmino Alfredo Pedrosa (Mino Pedrosa)  postou no dia 6 de janeiro de 2021,  em seu blog uma matéria com características de ser uma grande “bomba” contra os atuais ocupantes do Palácio do Buriti. Mas tudo não passou de um traque. Ele contava que blogs, jornais, portais e emissoras de TV abraçassem a tal “bomba”. Mais uma vez não colou. Só quem já replicou matéria de Mino sabe a dor de cabeça que vem junto: desgaste, desconfiança e condenação judicial.

Mino gostou tanto do vídeo do bêbado elogiando sua matéria, que postou até no próprio site como se fosse um prêmio.

E por não colar, Mino resolveu apelar e usar um truque sujo ao encaminhar no dia 9 de janeiro de 2021, vídeo em grupos de WhatsApp,  de inexpressivo e inconsequente ex-candidato a deputado federal pelo PMB (que teve apenas 200 votos nas eleições de 2018), e que vive bêbado nas ruas de Santa Maria. No tal vídeo, o bebum rasga elogios à tal matéria e convoca para que se investigue o governo de Ibaneis Rocha (MDB).

José Nogueira, que se apresenta como “líder comunitário” e mente descaradamente em vídeo

 

Mas nesse vídeo, o sujeito, chamado José Nogueira, que se apresenta como “líder comunitário” em Santa Maria, ainda afirma que teve um encontro com Donny Silva  “por volta de uns trinta dias atrás”, e que na suposta conversa, “Donny Silva fez uma defesa contundente de Weligton.” No vídeo, nesta parte Nogueira olha para o celular para ler…

Mino Pedrosa encaminhou a vários grupos de WhatsApp o vídeo fake protagonizado pelo alcoólatra e ambos responderão criminalmente

Nunca vi esse sujeito, nunca estive com ele ou falei com ele ao celular ou por e-mail. Já estou tomando todas as providências legais (Polícia e Justiça) para que o malandro prove tal encontro. Se trata de uma explícita fake news amplamente divulgada  por Mino para ajudar a “levantar” a audiência de sua pífia matéria, onde também mais uma vez ataca o secretário de Comunicação do DF, Weligton Moraes.

Mino se apresenta como grande denunciador mas  caiu em desgraça nas últimas décadas, desde que traiu o empresário Carlinhos Cachoeira, para quem trabalhava. Passou a  escrever o que lhe vêem à cabeça, cheio de achismos e teorias conspiratórias,  e por fim iniciou um ciclo de extorsão quase explícito junto a políticos e empresários.

Em Brasília, a classe política e empresarial sabe muito bem do modus operandis do intrépido decaído jornalista, acostumado a fugir de oficiais de justiça,  trocar de empresa e de sites de tempos em tempos para se esconder dos muitos processos a que responde. Por outro lado, nenhum jornalista sério replica as matérias de Mino Pedrosa, que vive publicando o que lhe dá na cabeça ou quando é pago para escrever.

VAZAMENTO DE ÁUDIOS DE PROCESSO SIGILOSO EM GOIÁS

Em 2017, por exemplo, a Justiça de Goiânia mandou Mino retirar calúnias contra o  então governador de Goiás, Marconi Perillo publicadas no blog Quid Novi pela segunda vez. A multa era de R$5 mil diária por descumprimento da sentença. O juiz Átila Naves do Amaral, titular da 11a Vara Cível de Goiânia afirmou na sentença que Mino infringiu a lei ao divulgar áudios de um processo que tramitava em segredo de Justiça.

No DF, Nelson Tadeu Filippelli, suplente de deputado federal também já ganhou  processos contra Mino. Gleisi Hoffmann, Ibaneis Rocha e Weligton Moraes também o processam, além de vários outros políticos.

CHANTAGEM CONTRA EX-ASSESSOR DE ZÉ DIRCEU

Num passado não muito longe, Mino Pedrosa, que assina o Quidnovi, foi indiciado pela Polícia Federal no caso Waldomiro Diniz. À época, ele era assessor de imprensa de Carlinhos Cachoeira, que filmou o pedido de propina feito por Diniz, então subchefe para Assuntos  Parlamentares da Casa Civil. De posse da fita, Mino foi acusado de ter feito chantagem contra o ex-assessor de Zé Dirceu.

Em depoimento  à CPI dos Bingos da Assembléia Legislativa do Rio, Mino, que agora se dedica de novo ao “jornalismo investigativo” no QuidNoviBrasil, admitiu  que Diniz intermediou para ele uma “consultoria” no valor de R$ 100 mil junto à Abrabin (Associação Brasileira dos Bingos).

ACHINCALHAR AS PESSOAS

Em 2013, o deputado distrital Chico Vigilante (PT)  afirmou em Plenário que Mino Pedrosa vive de “achincalhar as pessoas” e com uma “especial atenção” para com ele. O parlamentar sabe muito bem como age o intrépido repórter.

Mino morou num apartamento da empresária Cristina Boner localizado numa quadra nobre na Asa Norte, até ser expulso de lá pelo novo marido da empresária, que é advogado sério. O caso foi parar na Delegacia porque Mino resolveu partir para a ameaça.

A RAZÃO DOS ATAQUES AO SECRETÁRIO DE COMUNICAÇÃO DO DF

Mas qual é a grande ‘bronca’ de Etelmino Alfredo Pedrosa, vulgo Mino Pedrosa,  contra o  jornalista e secretário de Comunicação do DF, Weligton Moraes?

Num passado recente, Mino Pedrosa recorreu desesperado para que Weligton o ajudasse “pelo amor de Deus”. Mino estava se esvaindo de sangue pelo ânus na porta do Hospital Santa Lúcia e não quiseram atendê-lo porque o mesmo não tinha plano de saúde, nem dinheiro ou cartão de crédito. Weligton o socorreu a tempo e Mino foi finalmente atendido. Naquele momento, nenhum empresário ou político à quem Mino prestava “serviços” o socorreu.

A raiva de Mino Pedrosa, é que, segundo informações,  ele tentou chantagear Ibaneis Rocha  durante a campanha eleitoral de 2018 e não deu certo. Já em 2019, Mino tentou chantagear a SECOM, já no governo de Ibaneis, desta vez usando o falecido jornalista Antônio Martins com uma proposta indecente e imoral de publicidade. E de novo não deu certo a investida do “rei da extorsão”, como é chamado Mino entre políticos do DF.

Weligton Moraes se cansou das acusações levianas e entrou na Justiça contra Mino

O secretário de Comunicação do GDF, Weligton Moraes ingressou novamente na Justiça contra as inverdades (fake news) produzidas pelo rei da extorsão, Mino Pedrosa.

POST INCONSEQUENTE E REPLETO DE ESTÓRIAS

E quanto à matéria (Palácio do Buriti: os rastros das Fake News com as digitais do comando) do referido sujeito, ele alega que eu mantinha um contrato fictício com a Propeg como forma de pagamento para falar mal dos outros à mando do Buriti. Mentira!

Assinei contrato para fazer relatórios sobre os cenários da política e do governo, os fiz mensalmente e emiti nota fiscal. Portanto, ao contrário de Mino, nada fiz às escondidas e não há nenhum crime nisso. E não falei mal. Dou a notícia, baseada em documentos, testemunhos e fontes, por isso muitos de meus acusadores corruptos perderam ações na Justiça contra mim. E circulo pela cidade sem gravar políticos, ao contrário do decaído repórter.

Ainda na matéria, Mino afirmou que eu queria ser nomeado na Terracap e no IGES. Outra mentira!  Me ofereceram no início do governo uma vaga de assessor de comunicação para atuar no IGES-DF, mas o então presidente do IGES-DF, o corrupto Francisco Araújo não me quis por perto e por isso não fui nomeado. Francisco não queria que eu soubesse do esquema que ele havia montado lá (e por isso foi preso no ano passado juntamente com outros 5 que faziam parte da cúpula da Secretaria de Saúde).

Também Mino afirmou que eu tinha o contrato na Propeg, mais a publicidade do BRB e da  Câmara Legislativa. Outra mentira cabulosa! Desde agosto que meu blog não tem publicidade do BRB e nos últimos anos não quis nenhuma publicidade da Câmara Legislativa do DF (tanto é que nem atualizei os dados da minha empresa lá). No GDF, só tinha o contrato de consultoria de comunicação com a Propeg. Mais uma vez Mino mente descaradamente.

Minha empresa (que existe desde 1988) presta serviços de comunicação, marketing político e assessoria de imprensa e tem clientes no DF, Goiânia, Salvador e São Paulo. A minha renda é lícita, ao contrário de Mino, que tem, segundo investigações em andamento, e o testemunho dado por ele mesmo à mim durante café no Terraço Shopping, um empresário, uma agência de publicidade e políticos que lhe pagam as despesas (inclusive a casa onde mora no Lago Sul). Mino tem uma vida nababesca e consequentemente despesas nas alturas.

PAULO PESTANA

Quanto ao site deolhonopoder.com.br, a história verdadeira é a seguinte: O publicitário Paulo Pestana  me pediu para que eu parasse de falar no meu blog (donnysilva.com.br) sobre os desmandos que estavam ocorrendo na gestão de Zélio Maia, Diretor-Geral do órgão, porque  era amigo do governador e que o mesmo estava reclamando muito das denúncias de improbidade e má gestão contra ele.

Mas Pestana me disse para que, caso as denúncias feitas pelos servidores do órgão continuassem chegando ao meu conhecimento, que eu as fizesse em outros sites, caso fosse possível. E jamais Paulo Pestana me pediu para produzir fake news, como insinua o repórter ogro em seu post. Pestana estava preocupado com a imagem do Governo diante das constantes derrapadas de Zélio Maia no comando do Detran-DF.

Como tenho muitos amigos jornalistas que tem blogs, e um outro, o técnico em informática Filipe Coimbra Nogueira (que tem vários sites registrados em seu nome e que também cria sites) e que passei a ter contato com ele durante o escândalo envolvendo a então deputada Sandra Faraj, perguntei se ele tinha um site que poderia postar matérias de denúncias contra gestores que estavam prejudicando a imagem do governo, mas que o governador não queria ou não podia demití-los. Filipe prontamente disse que tinha sim, mas que levaria um tempo para apresentar o site  porque estava fazendo ajustes nas redes sociais e que o dono do site era de São Paulo. Portanto, para mim, era um site como outro qualquer, jornalisticamente falando. Em nenhum momento Filipe me disse que o site estava registrado em nome de um presidiário.

Posteriormente Filipe me enviou o link de uma matéria (CLDF contratou empresa da família de Welington Luis, enquanto Wellington era deputado) envolvendo o presidente da CLDF, Rafael Prudente, a deputada Federal Celina Leão, o ex-distrital Welington Luis, um primo dele e a ex-distrital Sandra Faraj e me pediu para replicá-la. Mas não o fiz porque achei muito estranha a matéria (com erro grosseiro no título) e com poucos documentos comprobatórios.

Logo depois,  ele me enviou pelo WhatsApp o link de uma outra matéria que falava que a ex-deputada distrital Sandra Faraj perdera mais um processo contra mim, desta vez na segunda instância. Esta matéria eu repliquei. Até então, para mim, se tratava de um site jornalístico normal. Filipe sempre me dizia que o dono do site era um sujeito que não gostava de aparecer mas que era “sério” e que não havia problema algum.

Todas as provas que tenho apresentarei à Justiça, uma vez que o inquérito foi muito mal conduzido, com vícios, erros,  vazamentos direcionados, mentiras e muitas suposições.

AÇÃO CONTRA ETELMINO PEDROSA

E voltando ao Mino Pedrosa, já tomei todas as devidas providências legais contra o rei da extorsão e seu assecla José Nogueira. Ambos responderão criminalmente pela produção e distribuição de fake news.

Para aparecer, Mino bate nas pessoas de bem, já que ele não produz diariamente, mas só quando há interesses ocultos é que posta algo no sentido de ganhar algum de alguém. Às vezes ele fica dias sem postar, o que comprova oportunismo explícito. Só posta quando lhe interessa atingir determinado objetivo.

TENTATIVA DE ENVOLVER O VICE-GOVERNADOR

Mas por quê Mino falou de mim? Simples! Durante café no Parkshopping no dia 4 de janeiro de 2021, Mino, que definitivamente sabe que sou muito mais bem informado que ele,   queria que eu afirmasse a ele que o vice-governador Paco Britto estava tramando contra o governador Ibaneis Rocha. Também me perguntou quanto eu recebia de Paco e Belmonte (só porque eu costumo postar matérias deles no meu blog). Como disse a ele que tais fatos nunca aconteceram, ele resolveu partir para o ataque e o achaque.

Ainda nesse encontro, Mino também tentou por cinco vezes colocar palavras na minha boca contra o secretário de Comunicação, Weligton Moraes. Mas como nada tenho de denúncia contra Weligton Moraes, Mino ficou possesso. Mesmo assim atacou Weligton em seu post repleto de ilações.

Havia 6 ou 8 anos que eu não falava com Mino. Só o atendi porque soube que ele queria falar comigo e desejava me envolver numa trama (ridícula) política envolvendo Paco Britto e Felipe Belmonte. Portanto, fui para ouvir e esclarecer os fatos como verdadeiramente os são, mas Mino deve ter mesmo sérios problemas psicológicos, porque não aceitou a verdade dos fatos. Ele ignorou a verdade e ainda a confundiu com ilações e teorias conspiratórias no claro propósito de se ganhar dinheiro ou poder,  patrocinado por gente quase oculta que logo será revelada pelas autoridades.

VERGONHOSO E LAMENTÁVEL

Tenho pena dele. O sujeito que já ganhou Prêmio Esso de Jornalismo chegar ao ponto de postar vídeo de bêbado imbecil para elogiar uma matéria mentirosa em seu blog e ainda viver de favor para ter uma vida de classe média alta, é de fato estarrecedor e vergonhoso.

Ao invés de escrever, divulgar, espalhar fake news, ameaçar e distorcer a verdade, Mino deveria ser grato à quem o ajudou com moradia, dinheiro e comida, ser humilde, dizer a verdade, ser responsável,  trabalhar honestamente e respeitar as pessoas. Talvez isso o ajude a parar de defecar estórias. Mino acha que todos os demais jornalistas agem como ele. Ele acusa os outros daquilo que sabe fazer muito bem.

E vamos ver se ele irá comparecer ao Judiciário para contestar tudo o que foi relatado acima. Seria uma ótima oportunidade para os oficiais de Justiça finalmente encontrarem Mino.

Estou no meio político e jornalístico desde os meus 15 anos e sei muito bem como esse sistema funciona. Por isso não me abalo com nada. Sigo em frente, durmo em paz, acredito em Deus e na Justiça, amo a minha família e respeito as pessoas. Mas não posso ficar calado diante de ataques de ninguém.

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui