Frejat aposta em tirar voto de adversário

1
8

 

Agora candidato, ex-secretário acredita também na transferência, para ele, do capital eleitoral de Arruda
Suzano Almeida
suzano.almeida@jornaldebrasilia.com.br

frejat
Em seu primeiro dia de cabeça de chapa, o candidato ao Buriti Jofran Frejat (PR) afirmou, ontem, que acredita na transferência de votos de seu antecessor na disputa, José Roberto Arruda (PR), e que pode tirar votos dos próprios adversários.

Em encontro no Conselho de Farmácia do DF, o candidato declarou que acredita na experiência que teve em outros governos e que Arruda está na coordenação de sua campanha.

“Eu não saberia dizer se herdarei os votos do Arruda, mas seria uma pena que não herdasse. Como é que os adversários estão adivinhando?”, questionou Frejat. Ele mesmo completou: “Tem muita gente que ia votar no Arruda por minha causa também. Quem sabe não vou herdar votos dos outros candidatos? Quem sabe o pessoal do PT não votará em mim, ou do PSDB. Ou do PSB?”.

Jofran repetiu que manterá como base de sua campanha o programa de governo elaborado ainda pela campanha de Arruda e que o ex-governador ainda está na coordenação da campanha.

“Aquilo que foi feito e que vou respeitar é o programa de governo, que elaboramos em conjunto e que concordamos, A partir daí nós é que vamos tocar o barco”, declarou Frejat.

Universidade do DF

Ex-secretário de Saúde, Jofran prometeu que, caso eleito, investirá na construção de uma universidade local para o Distrito Federal e em reestruturação da saúde. “Na minha época não tinha paciente sofrendo nas filas dos hospitais, não havia falta de medicamento, de seringas. O que faremos para recuperar a saúde será muito trabalho”, afirmou o candidato.

Aos farmacêuticos, Frejat afirmou que abrirá concurso para o segmento e criará mecanismos para que haja profissionais da área em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), hospitais, nos postos do Saúde em Casa, centros de saúde e farmácias 24 horas. “Eu, que sou médico há muitos anos, de vez em quando preciso consultar a bula. Agora imagina quem nem sabe ler?”, perguntou.

Frejat criticou a atual gestão da saúde e afirmou que o governo mantém o mesmo número de centros de saúde desde sua gestão. “Dos pouco mais de 60 centros de saúde do DF, 53 fui eu quem construiu. Todos chamavam a Faculdade de Medicina de Escolinha do Professor Frejat, mas depois que ela foi escolhida umas das melhores do País, apareceu um monte de pais dela”.

Campanha não mudará

Para Rodrigo Rollemberg (PSB), a ausência de José Roberto Arruda (PR) não afetará sua campanha, já que o ex-governador nunca foi dono dos votos. O candidato do PSB pretende continuar mostrando seu projeto e diz que não teme ataques.

Em campanha no centro de Taguatinga, Rollemberg passou pelo comércio, conversando com eleitores. As reclamações sobre o transporte público foram intensas quando o candidato esteve ao lado de uma parada de ônibus.

Sobre a candidatura recém-registrada de Jofran Frejat (PR), Rollemberg preferiu evitar comentários. A intenção é fazer uma campanha propositiva, independentemente de ataques que possam vir. “Não me importa qual é a estratégia dos outros candidatos. Nós vamos continuar com nosso propósito de fazer uma campanha propositiva, limpa, para ser governada por um governador ficha limpa”, afirmou.

O candidato do PSB não acredita em transferência de votos para Frejat e quer se apresentar como alternativa para o DF. “O voto não é do Arruda, é do eleitor. Em nenhum momento, escolhemos adversários, mas escolhemos aliados. Nosso aliado é a população e é com ela que estamos dialogando e queremos os votos, apresentando nossas as propostas. Arruda não é dono de ninguém”, opinou.

Fonte:  Jornal de Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui