O modo muito estranho de Rollemberg tratar a base aliada

1
10

Partidos e deputados distritais reclamam muito da forma como o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) trata a base aliada na Câmara Legislativa do Distrito Federal. Enquanto uns poucos distritais têm 100, 200 e até 500 cargos no governo, outros  quase nada possuem e ainda são obrigados a dividir espaço com aliados de outros parlamentares. Muitos reclamam da falta de diálogo por parte do governador.

O PHS do deputado distrital  Lira, por exemplo, deveria ter tido um tratamento melhor ou ao menos igual ao de outros parlamentares. Isso sem falar nos muitos petistas que fizeram parte do desgoverno de Agnelo Queiroz (PT) e que inacreditavelmente continuam em cargos comissionados no governo do PSB que tanto reclamou da gestão petista durante a campanha eleitoral.

Alguns membros do PHS, por exemplo,  reclamam da inércia do governo. Outros partidos também reclamam da falta de decisão e de igualdade no trato com os partidos que compõem a base aliada do governo de Rodrigo Rollemberg.

Como pode um partido com parlamentar na CLDF ter secretaria  ‘fechada’ e outros não? O governo Rollemberg consegue ser confuso até na distribuição de cargos para aliados, e ainda insiste em manter incompetentes de outros governos em sua estrutura.

No governo de Agnelo Queiroz, a situação era semelhante ao de hoje: poucos agraciados com muito, e muitos agraciados com pouco. Resultado? Agnelo foi abandonado pelos aliados que fizeram corpo mole na reta final do primeiro turno das eleições de 2014. Agnelo nem foi para o segundo turno…

Tanto na Casa Civil quanto no gabinete do governador Rollemberg, sobram bons currículos mas faltam sensatez, pulso firme e principalmente alguém que pense politicamente de maneira abrangente e inteligente. E não adianta pedir para Zé Flávio resolver porque ele aprendeu nos governos de Roriz, a dar oportunidades para poucos (os mesmos de sempre), ao invés de distribuir igualmente para todos.

Rollemberg insiste errar e o tempo passa. Pelo visto, não deverá se candidatar a nenhum cargo eletivo em 2018 diante do que têm plantado até aqui. Lamentável, porque era a esperança de dias melhores para a população do DF após o pífio governo petista.

Enquanto isso, Rollemberg finge que governa, aliados na CLDF fingem que apoiam e o governo finge que trabalha direito. E o povo finge que nada vê…

 

 

 

Fonte: Donny Silva

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui