PAULO TADEU E A REFUNDAÇÃO

4
12

DISTRITO FEDERAL
Paulo Tadeu diz que é preciso refundar Brasília

Ricardo Taffner, Correio Braziliense
 
Considerado homem forte da gestão de Agnelo Queiroz (PT), o petista Paulo Tadeu tem uma palavra em mente: refundação. O secretário de Governo acredita que é preciso refazer as relações políticas para reconstruir a capital da República. Eleito com a maior votação local do Partido dos Trabalhadores para a Câmara dos Deputados — 164 mil votos —, ele deixou o mandato parlamentar para se tornar um dos principais articuladores do Executivo. A missão tem provocado atritos dentro da legenda, dividida em diversas tendências. Oriundo da ala de esquerda, que não é uma das maiores, Tadeu conquistou a confiança do chefe e ganhou espaço.

A seu favor, acredita ter pesado a experiência de três mandatos na Câmara Legislativa. Na campanha eleitoral do ano passado, ajudou a articular a adesão de distritais de outros partidos para a candidatura Agnelo. Essa interlocução prosseguiu pela fase de transição e continua ativa. No primeiro dia do ano, após a posse do governador e dos deputados, o secretário teve de ajudar nas negociações para a formação da Mesa Diretora da Casa. “O meu papel é de ser um articulador. Acredito ter as credenciais para isso”, diz.

Após um mês de intensas conversas no Palácio do Buriti, em gabinete próximo ao de Agnelo, Paulo Tadeu resolveu falar pela primeira vez à imprensa como secretário de Governo. Em entrevista exclusiva ao Correio, o petista avalia as medidas tomadas neste início de ano e destaca os principais problemas encontrados pela administração. “Quase um Estado em guerra. Algo que jamais imaginei que pudesse encontrar”, afirma. Para ele, agora é preciso reunir a força de todos os atores políticos a fim de superar a crise política vivida no último ano e reconstruir a cidade — ou melhor, refundá-la. Leia mais no Correio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui