DF zera fila dos transplantes de córnea e de coração

0
13

Transplantes no Distrito Federal aumentaram 76%, entre 2011 e 2012. Índice é seis vezes maior que a média nacional, 12,7%. Autoridades reforçam a importância do aumento de doações

 

O Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira (27), Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos, o balanço do número de doações realizadas no primeiro semestre deste ano. Com 333 procedimentos, o Distrito Federal é a unidade federativa que apresenta a quarta maior alta, em comparação com o mesmo período de 2011. Dessas operações, 258 foram de córnea e 10 de coração – o que zerou a fila de espera desses dois tipos de transplante.

 

O governador Agnelo Queiroz lembrou que a participação da população foi decisiva. “Capacidade de realizar as cirurgias nós temos, porque, desde o começo da nossa gestão, reestruturamos toda a nossa rede. Então, é fundamental que as pessoas se mantenham solidárias e ampliem essa conquista, que é de todos nós”, destacou. Agnelo Queiroz anunciou que, agora, a meta do governo é realizar transplantes de pulmão.

 

O secretário de Saúde do DF, Rafael Barbosa, ressalta a importância da reestruturação da rede pública de Saúde, promovida desde 2011. “Quando assumimos a pasta, o transplante de córnea estava descredenciado. O mesmo acontecia com o de rim, e o de fígado estava parado há mais de quatro anos. Os transplantes foram colocados como prioridade deste governo, e hoje nosso programa é destaque nacional”, comemorou.

 

Além do Distrito Federal, quatro estados se destacaram em aumento percentual: Acre (1033%), Amazonas (217%), Pará (104%) e Pernambuco (74%).  Em números absolutos, São Paulo permanece na frente, com 4.754 transplantes realizados, sendo a maior parte de córnea (2.935). Ao todo, 95% das cirurgias são realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Isso faz do Brasil o país com o maior sistema público de transplantes no mundo.

 

Em alta – Os dados do Ministério da Saúde mostram que foram realizados 12.287 transplantes no primeiro semestre de 2012, o que representa aumento de 12,7% em relação ao mesmo período de 2011. O transplante de pulmão teve aumento de 100% e o de coração, 29%. O governo federal registrou ainda crescimento do número de transplantes de medula óssea (17%), rim (14%), córnea (13%) e fígado (13%). A quantidade de doadores de órgãos também aumentou: de 997 em 2011 para 1.217 em 2012 (alta de 22%).

 

“Esse crescimento reforça o aumento do desejo de doação e confiança da população no Sistema Nacional de Transplantes. Essa combinação é fundamental para que a gente mantenha um crescimento sustentável da doação e reduza as filas de espera por órgãos”, destacou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

 

De acordo com dados do Sistema Nacional de Transplantes (SNT) do Ministério da Saúde, a cirurgia de córnea atingiu 7.777 cirurgias nos primeiros seis meses de 2012, contra 6.891 no mesmo período de 2011, representando aumento de 13%. Além do DF, os estados do Acre, Paraná, Espirito Santo, Rio Grande do Norte e São Paulo já não têm mais lista de espera para esse tipo de transplante.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui